PUBLICIDADE
Topo

Goiás

Às pressas, Goiás inscreve jogadores aspirantes para poder enfrentar o SPFC

Jogadores do Goiás em treinamento - Divulgação
Jogadores do Goiás em treinamento Imagem: Divulgação

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

09/08/2020 15h08

Classificação e Jogos

O Goiás corre contra o tempo para tentar conseguir colocar um time para enfrentar o São Paulo na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro. Como dez jogadores testaram positivo para a Covid-19, o clube agiu nos bastidores para tentar o adiamento da partida. Ainda sem a resposta da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), a diretoria agiu paralelamente para inscrever entre os relacionados dez atletas aspirantes que tiveram exames com resultado negativo. A entidade permitiu a participação de tais jogadores.

O clube goiano também solicitou a realização de novos exames para saber se os atletas que tinham testado positivo teriam condição de jogo. O Goiás está no Estádio Hailé Pinheiro e se prepara para entrar em campo, apesar de ser contra a realização de tal partida. O São Paulo também segue os protocolos de preparação para a partida, que está marcada para 16h.

"Não acho que deveria ter a partida nestas condições, mas pedimos o adiamento e ainda não tivemos uma resposta. Estamos esperando a contraprova para vermos se teremos condições de colocar esses jogadores e também inscrevemos esses atletas aspirantes para podermos ter um time, caso os testes positivos sejam confirmados", explicou Túlio Lustosa, diretor de futebol do Goiás.

De acordo com o Goiás, 26 jogadores concentrados para o jogo fizeram testes na última sexta (7), mas os resultados foram divulgados pela Confederação Brasileira de Futebol ao Goiás apenas hoje, dia do jogo.

Em nota oficial, o Goiás disse ainda que os jogadores que apresentaram resultado positivo para Covid-19 estavam juntos com atletas que tiveram resultado negativo, o que aumenta a chance de que a contaminação seja ainda maior. "Para agravar mais a situação, os contaminados estavam concentrados, dormindo dois atletas por quarto", disse a nota.

Ao UOL, o vice-presidente do Goiás, Mauro Machado, explicou a situação. "A CBF designou um laboratório em Goiânia (terceirizado pelo Einstein), foi feita uma coleta na quinta-feira, com a promessa de entregar na sexta. Na sexta fomos comunicados de que as amostras foram danificadas. De alguma maneira, eles inviabilizaram o exame. Fizeram uma outra coleta e teriam de entregar até ontem 16h. E só disponibilizaram hoje. Há um dado curioso também nestes exames: um dos jogadores que testaram positivo desta vez já tinha testado positivo em maio e cumprido a quarentena", disse o dirigente.

Confira a nota do Einstein:

O Hospital Israelita Albert Einstein identificou uma falha técnica na coleta das amostras, feita em um laboratório parceiro em Goiás, para realização de teste RT-PCR em atletas e equipes dos clubes Vila Nova e Goiás. Solicitou, portanto, novas amostras antes do processamento dos exames. Elas foram refeitas e encaminhadas para análise no laboratório do hospital em São Paulo, sem nenhum prejuízo aos prazos estabelecidos para apresentação dos resultados.

Goiás