PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro prioriza Série B e terá novo mistão no Troféu Inconfidência

Jogadores do Cruzeiro comemoram gol marcado no Mineirão contra o Patrocinense - Bruno Haddad/Cruzeiro
Jogadores do Cruzeiro comemoram gol marcado no Mineirão contra o Patrocinense Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

02/08/2020 04h00

Classificação e Jogos

Mesmo jogando com o time misto, o Cruzeiro entrou em campo e venceu o Patrocinense por 3 a 0 na tarde do último sábado, em jogo válido pelo Troféu Inconfidência. Finalista do minitorneio (válido para as equipes que não avançaram na fase classificatória do Mineiro), o time pegará o Uberlândia ou o Boa Esporte na próxima quarta-feira, mas já está com a cabeça em outro campeonato. Priorizando o início da Série B, Enderson Moreira quer deixar seus melhores jogadores de fora.

"Teremos uma equipe alternativa, talvez não vamos utilizar esses jogadores porque o tempo é muito curto para que pudéssemos recuperar para sábado. Quase todos os atletas já fizeram pelo menos duas partidas dessas três, então agora é o momento de prepararmos da melhor forma possível", comentou o treinador, após a última vitória no Mineirão.

A final do Troféu Inconfidência será às 19h da próxima quarta-feira. Três dias mais tarde, a Raposa fará sua estreia na Série B, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, também no Mineirão. Principal objetivo do clube mineiro no ano, vale lembrar que o Cruzeiro começará o campeonato com menos seis pontos devido a uma punição sofrida pela Fifa.

"É a competição mais importante para o clube durante esse ano em função daquilo que ela pode nos oferecer no final do ano, que é o retorno para a Série A. Tudo passa, na construção do novo Cruzeiro, pelo acesso. Sabemos disso, a responsabilidade do clube, sabemos como serão difíceis esses jogos e a competição, então precisamos focar para que possamos fazer uma grande estreia", completou Enderson.

Contra o Patrocinense, jogadores mais conhecidos como Léo e Jean estiveram em campo. Por outro lado, outros titulares como Fábio, Cáceres, Cacá, Ariel Cabral e Marcelo Moreno ficaram de fora.

Cruzeiro