PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro faz 3 a 0 no Patrocinense e vai à final do Troféu Inconfidência

Cruzeiro acordou no segundo tempo e venceu o Patrocinense por 3 a 0 - Bruno Haddad/Cruzeiro
Cruzeiro acordou no segundo tempo e venceu o Patrocinense por 3 a 0 Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

01/08/2020 16h27

Classificação e Jogos

Quinto colocado na fase classificatória do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro não avançou à semifinal e teve que disputar o Troféu Inconfidência. Na tarde deste sábado, a Raposa entrou com um time misto diante do Patrocinense, mas conseguiu fazer o dever de casa no Mineirão, triunfando por 3 a 0. Os gols foram marcados por Ramon, Roberson e Mauricio, todos os segundo tempo.

Agora finalista, o Cruzeiro irá enfrentar o vencedor de Uberlândia e Boa Esporte, que se enfrentam amanhã. A final será realizada na próxima quarta-feira, também no Mineirão. No final de semana seguinte, a equipe celeste começará sua campanha na Série B do Campeonato Brasileiro, principal objetivo do time na temporada.

Quem foi bem:

Apesar de um primeiro tempo pobre taticamente e tecnicamente, o meia Claudinho se destacou positivamente no meio-campo celeste. Outro que também chamou atenção, mesmo jogando improvisado na lateral direita, foi o volante Filipe Machado. Menção honrosa também ao técnico Enderson Moreira, que conseguiu dar o choque que o time precisava para voltar mais disposto na etapa final.

Atuação do Cruzeiro:

O time da casa teve mais iniciativa, agrediu mais, mas apresentou dificuldades ao organizar suas ações ofensivas. Muito carente de um camisa 10 organizador, a Raposa se viu refém do meia Claudinho e do jovem Mauricio. No ataque, muitos lances de perigo foram ocasionados mais por causa da baixa produção técnica do adversário do que por competência técnica da Raposa. Após o intervalo, o Cruzeiro voltou mais disposto e conseguiu marcar na cabeçada do zagueiro Ramon, aparecendo como elemento surpresa dentro da área. Como o Patrocinense precisou se lançar mais ao ataque, o Cruzeiro teve mais liberdade também para fazer suas jogadas. As mudanças de Enderson deram certo e a equipe conseguiu sacramentar a classificação com os gols de Roberson e Mauricio.

Desempenho do Patrocinense

O Patrocinense entrou em campo para se defender, mas mal conseguiu descer ao ataque nas poucas oportunidades que teve. Desentrosado, seu primeiro grande momento ocorreu somente aos 40 do primeiro tempo. Assim como o Cruzeiro, o time contou com trapalhadas do adversário para ameaçar a meta. Na etapa final, a equipe do interior mineiro mal conseguiu agredir a meta rival, e pouco teve forças para reagir dentro de campo.

Cronologia do jogo

O Cruzeiro foi melhor durante quase todo o primeiro tempo, chegando ao gol com mais frequência, mas pecando muito na conclusão das jogadas. O Patrocinense só melhorou nos dez minutos finais, contando com algumas atrapalhadas da zaga celeste para dar alguns sustos ao gol de Vitor Eudes, reserva de Fábio e que fez sua estreia pelo clube. Na etapa final, a Raposa voltou mais animada, o que já foi o suficiente para mostrar mais apetite e abrir o placar com o zagueiro Ramon, de cabeça. Também de cabeça, Roberson aproveitou bem o cruzamento de Adriano pouco depois. Para fechar a conta, Mauricio ficou com a sobra após falha no sistema defensivo do Patrocinense e balançou as redes, também de cabeça.

CRUZEIRO 3x0 PATROCINENSE

Motivo: semifinal do Troféu Inconfidência
Data/Hora: 1º de agosto de 2020, às 14h30 (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte

GOLS: Ramon, 12'2ºT (1-0); Roberson, 32'2ºT (2-0), Mauricio, 36'2ºT (3-0)
Cartões amarelos: Enderson Moreira (CRU)
Cartão vermelho: Não teve.

Árbitro: André Luiz Policarpo Bento
Assistentes: Fernanda Nadrea Gomes Antunes e Marcyano da Silva Vicente

CRUZEIRO: Vitor Eudes; Filipe Machado, Ramon, Léo e Giovanni (João Lucas); Jean, Jadsom (Adriano) e Claudinho (Marco Antônio); Stênio (Welinton), Maurício e Thiago (Roberson). Técnico: Enderson Moreira.

PATROCINENSE: Thiago Passos; Emerson, Alex, Nilo e Igor; Fernando Carlos (Allan Patrick), Thiago Lima (Otávio), Wisley e Magalhães (Henrique); Victor Rafael (Danielzinho) e Rafael Gladiador (Gabriel). Técnico: Milagres.

Cruzeiro