PUBLICIDADE
Topo

Como Grêmio pinçou Dudu na Europa e reverteu impasse sobre altura do atleta

Dudu em ação pelo Grêmio durante jogo contra o Internacional disputado em 2014 - Vinicius Costa/ Getty Images
Dudu em ação pelo Grêmio durante jogo contra o Internacional disputado em 2014 Imagem: Vinicius Costa/ Getty Images

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

08/07/2020 04h00

Prestes ao deixar o Palmeiras rumo ao futebol do Qatar, o atacante Dudu gerou um impasse no Grêmio há pouco mais de seis anos por causa da sua estatura: 1,67 m. À época, o camisa 7 palmeirense voltou a atuar no futebol brasileiro no clube gaúcho depois de uma passagem pela Ucrânia.

O responsável pela contratação de Dudu, então com 22 anos, foi o gerente de futebol Rui Costa, que ocupou o cargo no Grêmio entre o fim de 2012 e começo de 2016. Foi ele quem comandou o monitoramento do atleta do Dínamo de Kiev e decidiu buscar a contratação por empréstimo de uma temporada.

A busca por Dudu começou após o trabalho da equipe de scout do Grêmio, que apontou oito jovens jogadores brasileiros que estavam em times médios da Europa. Simultaneamente, o nome do jogador foi citado técnico Enderson Moreira, então comandante da equipe gremista. Ele havia trabalhado com Dudu ainda na base do Cruzeiro e, segundo Rui, também pediu a contratação.

A contratação já estava bem encaminhada, mas o impasse sobre a resposta da torcida fez a negociação retroceder. "Trazer um jogador baixinho no Rio Grande do Sul era complicado. Naquela época tinha muito forte no Grêmio aquela coisa de atleta alto, então, seguramos um pouco", relembrou Rui em entrevista ao UOL Esporte.

A indefinição causou uma insatisfação da diretoria do Dínamo de Kiev, que passou a dificultar a liberação por empréstimo, com opção de compra depois de 12 meses. Rui, porém, conseguiu remediar a situação com a vinda de um advogado do clube ucraniano a Porto Alegre e mais US$ 30 mil (R$ 72 mil na cotação da época) no valor total da transação.

No Grêmio, Dudu passou a conquistar os torcedores gremistas pelo comportamento aguerrido em campo. "Ele sempre foi muito corajoso, com muita capacidade de suportar pancada. Isso no Sul ganha a torcida. Ele rapidamente ganhou a torcida", ressaltou Rui.

A partir do fim de julho, com a saída de Enderson Moreira e a chegada de Luiz Felipe Scolari, Dudu ganhou um aliado fora das quatro linhas. "Ele foi o jogador que o Felipão mais abraçou. O reencontro deles no Palmeiras depois [em 2018] foi bom para os dois", frisou o dirigente.

A contratação de Dudu feita pelo Grêmio aconteceu semanas depois de o clube gaúcho acertar com o zagueiro Geromel, que defendia o Mallorca, da Espanha. A contratação, segundo Rui, seguiu o mesmo critério: de buscar atletas em times que estavam fora da elite europeia. "O Dudu e o Geromel foram protagonistas nesse processo de trazer jogadores que não eram tão conhecidos", disse.

Os destinos dos dois atletas, porém, foram distintos. Dudu deixou o Grêmio em dezembro de 2014, depois do fim do empréstimo. Sem dinheiro, o clube viu o Palmeiras dar um chapéu em Corinthians e São Paulo para acertar com o atacante. Geromel, por sua vez, é jogador do Grêmio até hoje, um dos pilares do time e comandante do elenco campeão da Copa do Brasil 2016, da Libertadores 2017, da Recopa 2018 e dos Estaduais 2018 e 2019.

Futebol