PUBLICIDADE
Topo

Pedrinho vê 'risco desnecessário' em futebol com público no Rio

O ex-jogador Pedrinho será comentarista do Grupo Globo - reprodução/ESPN Brasil
O ex-jogador Pedrinho será comentarista do Grupo Globo Imagem: reprodução/ESPN Brasil

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/06/2020 16h02

Para Pedrinho, a presença de público nos estádios do Rio de Janeiro a partir de 10 de julho é desnecessária e precoce. Presente no Seleção SporTV de hoje, o comentarista criticou o decreto do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) e pediu cautela aos cariocas.

No último fim de semana, Crivella oficializou a liberação de um terço de público nos estádios de futebol. A determinação, publicada no Diário Oficial, determina que estão liberadas "competições esportivas com capacidade simultânea máxima de 1/3, sem ultrapassar a regra de 4m² por pessoa". O Rio de Janeiro é o primeiro estadual em atividade do país.

"A gente tem respeitar os órgãos de saúde, mas a gente tem que botar na balança qual o ganho e a perda do público. Neste momento, a gente não tem ganho nenhum do público. Primeiro, não tem ganho festivo, porque ninguém está com astral para ir dentro de um estádio ficar comemorando algo que foi muito precoce. Segundo, a probabilidade de 'dar ruim' é muito grande, opinou Pedrinho, que seguiu:

"É correr um risco desnecessário para acelerar um processo. A gente poderia ter um pouco mais de cautela, mesmo com a autorização dos órgãos de saúde e do poder público. Para que essa pressa de colocar um terço do público? Vai acrescentar em quê? Eu vejo isso como um processo acelerado de forma completamente desnecessária".

As semifinais da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, serão realizadas no dia 5 de julho (domingo). Já a final será no dia 8 (quarta-feira).

UOL Esporte vê TV