PUBLICIDADE
Topo

BAP vê assédio por Jesus com naturalidade e diz: 'Ele está em casa'

Luiz Eduardo Baptista, o Bap (ao centro), ao lado do presidente Rodolfo Landim e de Gustavo Oliveira, vice de comunicação do Flamengo - Alexandre Vidal/Flamengo
Luiz Eduardo Baptista, o Bap (ao centro), ao lado do presidente Rodolfo Landim e de Gustavo Oliveira, vice de comunicação do Flamengo Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/06/2020 21h18

Classificação e Jogos

Luiz Eduardo Baptista, vice-presidente de relações externas do Flamengo, afirmou que o assédio de outros clubes a Jorge Jesus é encarado pelo clube rubro-negro com naturalidade - e até de forma lisonjeira. O BAP afirmou, entretanto, que acredita que o treinador português tenha tudo o que deseja na equipe carioca, a ponto de se sentir em casa.

"A gente vê essa procura pelo Jesus com naturalidade e ficamos lisonjeados. É um reconhecimento pelo bom trabalho dele. É natural que quem almeje mudar de patamar, fazer diferente do que fez na última temporada vá atrás de grandes treinadores. Então, é natural que os clubes de Portugal o procurem. E, dito isso, acreditamos que o Jesus é nosso. (...) Acreditamos que o Flamengo reúne fatores irresistíveis para o Jesus ficar. Acreditamos que ele considera o Flamengo como sua casa", declarou o dirigente em entrevista ao Expediente Futebol, do Fox Sports, hoje.

O dirigente rubro-negro ainda falou sobre o processo que levou o Flamengo a escolher Jorge Jesus e ressaltou que o clube rubro-negro se sentia maduro para receber um treinador estrangeiro renomado. Além disso, BAP acredita que a adaptação do português foi possível por um processo de adequação na equipe carioca.

"Não basta contratar um bom treinador estrangeiro. Ano passado, o mercado indicava que treinadores estrangeiros tinham menos probabilidade de funcionar no Brasil, mas entendemos que isso acontecia pela falta de preparo dos clubes. O clube tem que estar preparado para recebê-lo e dar boas condições. Nós entendemos que o Flamengo estava com um elenco e um departamento de futebol profissional maduros o suficiente para buscar um profissional fora do país.", disse.

"Eu não sei como foi no Santos, mas tenho a impressão de que eles também se adequaram para a chegada do Sampaoli, que teve um trabalho de bastante sucesso no Campeonato Brasileiro de 2019. E, além disso, é necessário insistir na ideia. Nós tivemos momentos difíceis, como a derrota para o Emelec, para o Bahia. Mas tivemos a clarividência de não olhar para o momento, mas para o que poderia vir e fomos felizes na nossa decisão", ponderou.

Disputa com a Globo pela transmissão dos jogos do Carioca

O VP do Flamengo ainda falou sobre a disputa entre Flamengo e Globo pela transmissão dos jogos do Campeonato Carioca. Enquanto o clube anunciou que transmitirá a partida contra o Boavista, no dia 1º de julho, em seu canal no Youtube, a emissora carioca tenta barrar o plano.

BAP ressaltou que a Globo é a maior parceira comercial do Flamengo e que o clube não pretende perder essa parceria. O dirigente frisou que o clube não pretende descumprir o contrato de transmissão do Campeonato Brasileiro que tem com a emissora carioca até 2024, por exemplo.

"A Globo é o maior parceiro comercial do Flamengo. Prezamos muito a relação com a Globo. Não temos um plano de longo prazo de não ser parceiro da Globo. Hoje, discordamos em relação à transmissão do Campeonato Carioca, mas temos um contrato para a transmissão do Campeonato Brasileiro até 2024 e pretendemos cumpri-lo. (...) A disputa é absolutamente pontual e não macula a nossa relação e apreço pela Rede Globo", declarou.

O diretor flamenguista ainda avaliou que a TV Fla, canal do YouTube do clube, está preparada para fazer a transmissão do jogo.

"Entendo que a TV Fla está preparada para transmitir um jogo. O regime de busca pela excelência no Flamengo é constante, então estamos sempre tentando melhorar. Então, espero que possamos fazer uma transmissão excelente, e que logo depois já identifiquemos várias coisas para melhorar. Com certeza vamos cometer equívocos na primeira transmissão e eles vão servir para melhorar", afirmou.

UOL Esporte vê TV