PUBLICIDADE
Topo

'Seremos implacáveis contra quem lesou o clube', diz presidente do Cruzeiro

Sérgio Santos Rodrigues, novo presidente do Cruzeiro - Divulgação/Cruzeiro
Sérgio Santos Rodrigues, novo presidente do Cruzeiro Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/05/2020 23h12

Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, afirmou que a nova gestão será implacável contra qualquer um que tenha lesado o clube no passado. Além do rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro, as últimas administrações da equipe mineira deixaram um grande rombo nos cofres do clube

"Nós seremos implacáveis contra quem lesou o Cruzeiro. A gente já tem o resultado de uma investigação privada. Temos a Polícia Civil e o Ministério Público (MP) conduzindo investigações. O MP tuítou na semana passada que encontrou indícios de lavagem de dinheiro e organização criminosa dentre outros ilícitos graves. Então, tanto no âmbito penal, quanto na esfera cível, e administrativa, queremos tirar do Cruzeiro para sempre quem fez isso. criminalmente ajudar os órgãos de investigação para puni-los. E civilmente, bloquear bens e correr atrás do que conseguirmos para ressarcir o clube", declarou em entrevista ao SportSCenter, da ESPN Brasil.

Desafios na Série B

O Cruzeiro inicia a Série B do Campeonato Brasileiro com seis pontos a menos, por conta de uma punição da Fifa. Além disso, nos primeiros meses do ano, a equipe ainda não convenceu com o futebol apresentado em campo. No entanto, Sérgio Santos Rodrigues garante que a situação será diferente após a pandemia.

O mandatário cruzeirense aposta nos retornos de Ariel Cabral e Robinho e nas estreias de Angulo e Régis, que ainda não atuaram com a camisa celeste, para melhorar o desempenho da equipe. Além disso, o dirigente prometeu a contratação de reforços a custo zero para ocupar espaços pontuais e montar um time competitivo.

"O grande desafio do Cruzeiro, com certeza, é buscar o acesso. A realidade é que a pandemia causou mudanças no futebol, neste tempo de paralisação. A gente terminou o campeonato em um jogo, por exemplo em que o Ariel Cabral entrou sem ter feito pré-temporada. Robinho e Jean entraram voltando de lesão. Ainda não tínhamos o Régis, que chegou agora. Hoje, temos estes quatro atletas prontos para jogar. Além deles, tem o Angulo, que chegou do Palmeiras, ainda não estava pronto para jogar e o Marcelo Moreno, que fez alguns jogos, mas também não teve pré-temporada adequada. Além de esse cenário modificar o time que acabou o Brasileiro do ano passado, tem a questão de entrosamento - já jogamos esse ano com seis jovens no time titular que nunca tinham atuado no profissional. Esse tempo de adaptação e treinamento, mais alguns reforços pontuais, que vamos buscar sem custos - apenas dos salários, vai nos proporcionar um time competitivo", completou.

UOL Esporte vê TV