PUBLICIDADE
Topo

Mauro: "Presidente já defendeu Carioca em Brasília. O vírus não entra lá?"

Do UOL, em São Paulo

12/05/2020 04h00

Classificação e Jogos

Enquanto o futebol não tem uma data para voltar no Brasil e poucos jogadores e personalidades do futebol se manifestam contrários a um retorno apressado, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), defende que a bola volte a rolar no país, embora tenha como consultor Renato Gaúcho — o treinador do Grêmio foi um dos primeiros a se posicionar pela paralisação do futebol no início dos casos do novo coronavírus no país.

No podcast Posse de Bola #32, o jornalista Mauro Cezar Pereira fala sobre a sugestão de Bolsonaro de realizar os jogos restantes do Campeonato Carioca em Brasília, sendo que o estádio Mané Garrincha, o principal da capital federal, tem montado em sua estrutura um hospital de campanha.

"Ele defende a volta do futebol, já defendeu o Campeonato Carioca em Brasília. Eu não sabia que Brasília tinha um bloqueio lá, que o vírus não entra. Brasília por que? Só se Brasília fosse o único lugar do país em que o vírus não entrasse. Não tem cabimento nenhum, é uma ideia de jerico, um negócio absurdo", afirma Mauro (disponível no vídeo acima a partir de 24:42).

Sobre Renato Gaúcho ser uma espécie de conselheiro de Bolsonaro, Mauro cita a personalidade do atual treinador do Grêmio como controversa e justifica o motivo de os jogadores em geral não se manifestarem contrários ao retorno do futebol.

"Renato primeiro foi para o jogo do Grêmio com a máscara, em protesto, ele e os jogadores, depois ele foi visto na praia no Rio de Janeiro jogando futevôlei durante a quarentena, e posteriormente, ele foi convocado pelo presidente para ser uma espécie de conselheiro. O presidente que certamente não deve ter concordado com aquela manifestação do Renato lá atrás", afirma Mauro.

"Mas o Renato é um cara controverso. Especialmente também, acho que aí passa por uma outra questão, eu acho que certos personagens do futebol não têm mesmo nível cultural para poder entrar nessa discussão. Não têm, eles não conseguem. Aí muitas vezes confundem, misturam coisas totalmente distintas. E aqueles que têm muitas vezes não têm coragem ou não têm respaldo", completa o jornalista.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol