PUBLICIDADE
Topo

Coreia do Sul fez oposto do Brasil e é 1º mercado relevante a ter futebol

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

09/05/2020 04h00

O Campeonato Sul-Coreano estava marcado para começar em 29 de fevereiro, mas naquele dia o país notificou 813 casos de coronavírus. Menos de três meses depois, a bola rolou no país asiático ontem (8), com Jeonbuk 1 x 0 Suwon. Por lá, a pandemia é considerada controlada.

A Coreia do Sul é o primeiro país com certa relevância no futebol (é top 40 do ranking da Fifa) a retomar suas atividades esportivas. Antes, somente nações com importância mínima no cenário mundial, como Belarus e Nicarágua, comandadas dos chefes de Estado autoritários que minimizam a pandemia, tinham jogos. Alguns países da Europa, a exemplo de França e Holanda, já até anteciparam o fim das suas temporadas.

No Brasil, há clubes que já realizam treinos presenciais: Grêmio e Internacional. Outros, como Flamengo, Vasco e Atlético-MG, estudam protocolos. Também há clubes que fazem pressão nas federações locais pela retomada de atividades. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) até consultou treinadores para levar adiante o projeto de retomada.

D'Alessandro - Ricardo Duarte/SC Internacional - Ricardo Duarte/SC Internacional
D'Alessandro, do Internacional, passa por teste rápido para o coronavírus; equipe já treina
Imagem: Ricardo Duarte/SC Internacional

Segundo o Ministério da Saúde, o futebol como forma de entretenimento na TV ajudaria o povo a ficar em casa.

Apesar de o futebol brasileiro querer seguir o caminho sul-coreano, as realidades dos dois países são opostas.

O país asiático registrou 12 novos casos ontem (8), contra 751 do Brasil. São 256 mortes na Coreia do Sul diante de 9.897 no país sul-americano, de acordo com informações dos governos locais chanceladas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Por fim, são 10.822 casos confirmados contra 145.328.

Os números não são a única métrica de diferenciação: a Coreia do Sul adotou como política, desde o início da pandemia, a testagem em massa dos cidadãos e rastreamento dos infectados, processos aliados a um forte incentivo ao isolamento social que se tornou referência mundial no combate ao coronavírus e impediu a proliferação da Covid-19. O país tem capacidade para 20 mil testes diários.

Para o retorno do Campeonato Sul-Coreano, aliás, foram realizados mais de mil testes em jogadores e funcionários e todos foram negativos. Além disso, não há no país preocupação de que os testes usados para a retomada do futebol farão falta ao sistema de saúde público.

Mudança de formato

A K-League (equivalente ao Campeonato Brasileiro) estabeleceu dois critérios básicos para pensar na retomada do futebol: o número de pacientes confirmados estar abaixo de 30 por duas semanas consecutivas; e o estudo de formatos para diminuir a quantidade de datas e, consequentemente, o risco.

Como a doença parece controlada (apesar do alerta atual em uma região de bares de Seul), o passo seguinte foi o regulamento. A decisão foi que os times jogariam 27 vezes (22 na primeira fase e cinco nos mata-matas finais), cortando 11 datas da programação original dos 12 clubes. No Brasil, a determinação foi que o Campeonato Brasileiro não sofreria diminuição em suas 38 rodadas tradicionais por razões financeiras.

Na Coreia do Sul, uma forma de compensação do ponto de vista econômico foram acordos internacionais com 17 países para transmissão de jogos do primeiro campeonato relevante do mundo a ser reiniciado.

Campeonato Sul-Coreano - Divulgação - Divulgação
Na cidade de Jeonju, o Jeonbuk enfrentou o Suwon: "fiquem firmes" e "vejo vocês logo" nas arquibancadas
Imagem: Divulgação

Em campo, a primeira rodada do Campeonato Sul-Coreano seguiu uma série de novos protocolos: comissão técnica, reservas e imprensa com máscaras (muitas vezes usadas incorretamente); sem público; veto a cumprimentos, inclusive na comemoração de gols; punição a reincidentes em cusparadas no gramado; ordem de evitar conversas próximas; uso de máscaras pelos jogadores antes e depois do fim da partida; e entrevistas em campo, não em salas de imprensa que podem ser menos ventiladas.

Nas arquibancadas, o Jeonbuk exibiu os dizeres "Fiquem firmes" e "Vejo vocês logo". Em outros estádios, há possibilidade da colocação de banners com fotos de torcedores — isso aconteceu na retomada da Liga de Beisebol do país.

Hoje (9), mais três partidas deram sequência à primeira rodada do Campeonato Sul-Coreano. Amanhã haverá mais duas.

Futebol