PUBLICIDADE
Topo

Futebol

F. Melo sobre briga com PVC: "Ele teve sorte que eu não tinha experiência"

Felipe Mello participou de live vinculada à patrocinadora da arena palmeirense - Reprodução
Felipe Mello participou de live vinculada à patrocinadora da arena palmeirense Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

19/04/2020 20h42

Em live transmitida no canal do Allianz Parque no YouTube, o volante e zagueiro Felipe Melo, do Palmeiras, relembrou episódios marcantes da carreira - entre eles, a discussão que teve com o jornalista Paulo Vinícius Coelho, pouco antes da Copa do Mundo de 2010. Na ocasião, PVC questionou a temporada que o meio-campista havia feito pela Juventus e acabou irritando o atleta, que perguntou "você é jornalista?" e ouviu de volta "você é jogador?".

"Ele (PVC) teve sorte porque eu não tinha tanta experiência para falar como hoje eu tenho", disse Felipe Melo. "Porque um camarada que fica me enchendo o saco para fazer entrevista comigo e na primeira entrevista, logo após o Felipe Melo saber que tinha sido convocado para uma Copa do Mundo, o cara começa a fazer um monte de pergunta sem nexo... era o momento de o Felipe falar de como estava o coração naquele momento tão importante".

"Aí eu pergunto se ele é jornalista, ele pergunta se eu sou jogador... ele que veio atrás de mim. Aí acabei desligando o telefone porque naquela época eu não tinha experiência pra responder. Mas é outra coisa também que já foi solucionada, logo depois ele me ligou e nós conversamos, tanto que voltei lá. Acontece, faz parte, ficou para trás", lembrou Felipe.

O palmeirense também falou que, em sua opinião, aprendeu a lidar melhor com as críticas. "Procuro ver o lado bom. Tem troféu na minha casa de campeão da Copa das Confederações invicto com a seleção, dei na minha carreira uma das maiores assistências da história da Copa do Mundo (contra a Holanda, em 2010)... o mesmo cara que me xinga é o que chega no meu Twitter e pede pra eu jogar no time dele. Faz parte".

Melo contou ainda que o sueco Zlatan Ibrahimovic queria levá-lo para o Milan e, depois, para o Paris Saint-Germain, mas que os negócios não andaram. "Uma vez ele estava de férias, me encontrou, foi até a mesa, conversou comigo. Sempre que encontro, sei que ele tem um carinho por mim, mas não temos uma amizade. Pelo contrário, mandei mensagem para ele vir para o Palmeiras e estou esperando a resposta até hoje", brincou.

Futebol