PUBLICIDADE
Topo

Em meio à paralisação, Flu aposta em medidas contra os reflexos financeiros

Diretoria tem buscado opções para minimizar possíveis perdas neste período de paralisação - Nelson Perez/Fluminense FC
Diretoria tem buscado opções para minimizar possíveis perdas neste período de paralisação Imagem: Nelson Perez/Fluminense FC

Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

02/04/2020 04h00

A diretoria do Fluminense busca por medidas para se antecipar aos reflexos financeiros negativos que a paralisação das atividades devido à pandemia de coronavírus pode desencadear. O exemplo mais recente foram as iniciativas em relação ao programa de sócio-torcedor, anunciadas ontem (1º) pelo clube.

Atravessando um momento delicado em relação ao caixa, o Tricolor tinha conversas e negociações para viabilizar novos patrocínios, mas as tratativas não tiveram avanço nos últimos dias, justamente, por conta das incertezas impostas no atual momento.

Ao oferecer preços especiais, em um futuro próximo, aos sócios que ficarem adimplentes durante este período sem jogos, a cúpula busca ter uma fonte de renda em meio às perdas e ter menos obstáculos para honrar os compromissos monetários.

Apesar da suspensão das competições estar caminhando para a terceira semana, o Fluminense, até aqui, não apresentou uma queda fora da normalidade no programa e, com as vantagens oferecidas, visa, justamente, evitar uma evasão em grande volume. A ideia é que, em breve, se possa ter um panorama melhor do cenário.

Há ainda a leitura que essa "tratativa" em ligação direta entre clube e torcedor tem menos obstáculos que conversas com empresas, como a Globo, que, recentemente, decidiu suspender os pagamentos de direitos de transmissão dos campeonatos estaduais aos clubes a partir de abril. Ao longo dos últimos dias, equipes da Bahia e do São Paulo têm sido comunicados da decisão. Os campeonatos do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais são exceções, já que os valores já foram pagos. O Carioca também terá pagamentos suspensos.

Dentre as perdas, desde quando as respectivas suspensões dos campeonatos foi divulgada, está a do Azeite Royal. A empresa, que tinha a logomarca exposta na barra das costas da camiseta, rompeu o contrato de patrocínio não só com o Tricolor, mas também com Botafogo, Flamengo, Vasco e Maracanã. Nas Laranjeiras, a situação ainda é analisada internamente pela diretoria, até pelas dúvidas de como os tribunais vão fazer quanto às rescisões ocorridas nesta época.

Fluminense