PUBLICIDADE
Topo

Por que Jesualdo nunca repetiu uma escalação do Santos nesta temporada

Jesualdo Ferreira treina o Santos sob chuva no CT - Ivan Storti/Santos FC
Jesualdo Ferreira treina o Santos sob chuva no CT Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

19/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Jesualdo Ferreira escalou 12 times diferentes nos 12 jogos que comandou o Santos
  • O português faz mudanças mais sutis do que seu antecessor. Jorge Sampaoli repetiu apenas duas escalações em 65 jogos
  • Jesualdo vem tendo problemas para repetir o time devido ao elevado número de lesões dos atletas santistas neste início de ano
  • Além dos problemas físicos, o português também vem utilizando o Paulistão para testar atletas e dar chance para garotos da base

O torcedor do Santos se acostumou a ver muitas mudanças, algumas inusitadas, em cada escalação da equipe na última temporada sob o comando de Jorge Sampaoli. Apesar de mais "conservador", Jesualdo Ferreira também não vem repetindo os 11 iniciais do Peixe, mas por motivos diferentes do treinador argentino, hoje no Atlético-MG.

Ao passo que Sampaoli promovia muitas mudanças de acordo com o próximo adversário, ainda que tivesse à disposição todos os jogadores do elenco, Jesualdo vem tendo problemas, tanto para encontrar o time ideal quanto para poder de fato repetir uma equipe, já que o Alvinegro Praiano vem sofrendo com lesões.

Ao longo de toda a temporada passada, Jorge Sampaoli repetiu apenas duas escalações do Santos em 65 jogos. Até o momento, Jesualdo não escalou 11 jogadores iguais em nenhuma partida.

O português vem fazendo vários testes e dando chances para diversos jogadores. De todo o elenco, somente Jean Mota e Renyer não foram titular em algum momento do ano. Duas lesões de jogadores importantes colaboram para esse cenário de escalações diferentes: Lucas Veríssimo e Marinho.

Enquanto o atacante foi titular somente no primeiro jogo da temporada e saiu lesionado, deixando a disputa por sua vaga aberta no elenco, o defensor iniciou o ano no departamento médico e só ficou à disposição na sétima rodada do Estadual — desde então não saiu mais do time.

Raniel, Arthur Gomes, Kaio Jorge e Yuri Alberto se alternaram na equipe titular ao lado de Eduardo Sasha e Soteldo. O venezuelano só chegou ao Peixe na quinta rodada, já que disputou o Pré-Olímpico da Colômbia com a seleção de seu país. Uribe e Tailson também foram utilizados, mas só foram titulares uma vez no ano.

Recém-contratado do São Paulo, Raniel foi quem surgiu como boa alternativa no ataque santista e chegou a engatar cinco jogos como titular, além de anotar dois gols. No entanto, um mal-estar contra a Ferroviária quebrou a sequência e dores no joelho o impediram de ficar à disposição nos últimos jogos.

Outra lesão que atrapalhou Jesualdo neste início foi a de Alison. O camisa 5 havia sido titular em seis dos primeiros oito jogos quando teve uma lesão relativamente grave no ligamento no joelho e está entregue ao departamento médico.

Somente dois jogadores conseguiram atuar em todos os 12 jogos com Jesualdo em 2020: o zagueiro Luan Peres e o volante Diego Pituca. Enquanto o defensor atuou sempre no miolo de zaga, com exceção do duelo contra o Defensa y Justicia (ARG) quando jogou como lateral esquerdo, o meia fez vários papéis diferentes neste início de ano, atuando tanto por dentro quanto por fora, do lado esquerdo, e geralmente com mais liberdade para atacar.

Ao fim da parada nos torneio devido à pandemia do coronavírus, Jesualdo parece ter bem definido seu setor defensivo, com Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan, mas ainda busca o melhor esquema tático para o meio-campo e ataque.

O português jogou a maioria das partidas no 4-3-3, mas viu o time ter bom desempenho em dois desenhos diferentes do 4-4-2: com duas linhas de quatro e também com Sasha voltando por dentro, como um meia, formando quase um losango no setor, enquanto Soteldo e Yuri Alberto fecham como atacantes.

A tendência é que Jesualdo Ferreira tenha à disposição quase todo o elenco na volta dos campeonatos. Apenas Alison, ainda sem previsão de volta, e Renyer, que só deve regressar no final do ano, devem desfalcar o Peixe. O clube suspendeu os treinos por, inicialmente, 20 dias.

Confira as 11 escalações do Peixe no ano:

Contra o Red Bull Bragantino: Everson; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Marinho, Sasha e Kaio Jorge.
Guarani: Everson; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Raniel, Arthur Gomes e Sasha.
Inter de Limeira: Everson; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Jobson, Pituca e Evandro; Raniel, Tailson e Uribe.
Corinthians: Everson; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Jobson, Pituca e Sandry; Raniel, Kaio Jorge e Sasha.
Botafogo-SP: Vladimir; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Raniel, Soteldo e Sasha.
Ferroviária: Everson; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Raniel, Soteldo e Sasha.
Ituano: Everson; Pará, Luan Peres, Lucas Veríssimo e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Arthur Gomes, Soteldo e Sasha.
Palmeiras: Everson; Pará, Luan Peres, Lucas Veríssimo e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Soteldo, Sasha e Yuri Alberto.
Defensa: Everson; Pará, Luiz Felipe, Lucas Veríssimo e Luan Peres; Evandro, Pituca e Sánchez; Soteldo, Sasha e Yuri Alberto
Mirassol: Everson; Madson, Luan Peres, Lucas Veríssimo e Felipe Jonatan; Jobson, Pituca e Sánchez; Soteldo, Sasha e Yuri Alberto
Delfin: Everson; Pará, Luan Peres, Lucas Veríssimo e Felipe Jonatan; Jobson, Pituca e Sánchez; Soteldo, Sasha e Kaio Jorge.
São Paulo: Everson; Pará, Luan Peres, Lucas Veríssimo e Felipe Jonatan; Jobson, Pituca e Sánchez; Soteldo, Arthur Gomes e Yuri Alberto

Santos