PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


"Era jogo para golear", diz Tiago Nunes sobre volta contra Guaraní

Tiago Nunes antes do clássico São Paulo e Corinthians, no Morumbi - Daniel Vorley/AGIF
Tiago Nunes antes do clássico São Paulo e Corinthians, no Morumbi Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/02/2020 23h19

Classificação e Jogos

O técnico Tiago Nunes afirmou que o jogo da eliminação Corinthians na Copa Libertadores da América poderia ter sido uma goleada. O duelo contra o Guaraní (PAR), no entanto, terminou com vitória apertada por 2 a 1 para o time brasileiro, culminando com a eliminação precoce no critério do gol fora de casa.

"O tamanho da frustração é proporcional ao tamanho da expectativa que a gente criou. E a gente nunca espera ser eliminado em uma fase tão precoce da Libertadores. Ainda mais para um adversário já conhecido. [...] Tem situações da partida que não tem como controlar. No Paraguai, podíamos ter saído com um empate. Tivemos bola na trave, tentamos. Aqui, o jogo era para vencer de três ou quatro. Estávamos jogando em cima, no campo de ataque, até perdermos um jogador aos 28 minutos. Depois, sofremos um gol e ainda tentamos o empate no coração", declarou o treinador em participação no Bem, Amigos! de hoje (17).

Tiago Nunes ainda comentou o bom momento do Flamengo, que levantou a taça da Supercopa do Brasil ontem ao vencer o Athletico Paranaense por 3 a 0, admitindo que os cariocas têm o time mais forte do Brasil. O treinador corintiano afirmou que vencer times apontados como favoritos é algo que o motiva.

"No Brasil, a gente tem muita dificuldade em admitir que o outro time é melhor. Estamos acostumados a falar que o nosso time é sempre o melhor. Falar que vamos brigar pelo G-5 e não pelo título é loucura. E o Flamengo tem o melhor elenco e são jogadores experientes. Então é muito difícil enfrentar o Flamengo hoje. É motivador para um técnico ganhar de um time apontado como o melhor. Foi o que nos motivou ano passado, ganhar do Grêmio, do Inter, do Flamengo. Dentro de campo, são onze contra onze", afirmou.

UOL Esporte vê TV