PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


"Um absurdo não ter sido resolvido", diz Junior sobre tragédia do Ninho

Júnior é comentarista do Grupo Globo - João Miguel Júnior/Globo
Júnior é comentarista do Grupo Globo Imagem: João Miguel Júnior/Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/02/2020 18h18

Dois dias depois de a tragédia do Ninho do Urubu ter completado um ano, Junior, comentarista do Grupo Globo, criticou a diretoria do Flamengo pela forma de lidar com com o incidente e com a família das vítimas. O ex-jogador do time rubro-negro lamentou que ainda não haja uma resolução para a situação.

"Eu nunca tinha falado sobre isso, é a primeira vez. Eu acho isso uma coisa tão grave, eu que vivi minha vida toda ali dentro. Eu participei de um acidente também que foi a perda do Geraldo em 1976. O cara que seria jogador de seleção brasileira. Houve um acidente, ele morreu de choque anafilático em uma operação de amígdala. Mas o clube naquele momento conseguiu resolver junto à família do Geraldo para que ficassem assistidos. Não na parte econômica, mas na parte sentimental, humana. E eu acho um absurdo que até hoje isso (a indenização às famílias das vítimas da tragédia do Ninho) não tenha sido resolvido). É muita falta de sensibilidade", declarou em participação no Redação SporTV de hoje (10).

Ainda na opinião de Junior, a diretoria do Flamengo tem tratado os familiares das vítimas de uma maneira muito parecida com a que trata dirigentes de outros clubes em negociações para contratações de atletas.

"Quando você vê as grandes contratações que foram feitas, o Flamengo está lidando com o problema de uma forma que parece uma grande negociação. E não é uma grande negociação, não existe valor. O processo natural é o quê? Os filhos enterrarem os pais. Os pais enterrarem os filhos é uma coisa que você não pode desejar nem para o seu pior inimigo. Muitos desses garotos eram também uma forma que as famílias tinham para poder ter uma vida melhor, de dar uma condição melhor para todo mundo", completou.

UOL Esporte vê TV