PUBLICIDADE
Topo

Santos

Renyer supera Rodrygo e se torna o quinto mais jovem a estrear pelo Santos

Renyer, promessa do Santos, estreou aos 16 anos e entrou para a história - Ivan Storti/Santos FC
Renyer, promessa do Santos, estreou aos 16 anos e entrou para a história Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

31/01/2020 16h28

Reconhecido mundialmente como um dos principais clubes formadores de atletas, o Santos lançou na vitória de ontem (30), por 2 a 0 sobre a Inter de Limeira, mais um jovem jogador entre os profissionais. O atacante Renyer, de apenas 16 anos, ganhou quase 15 minutos e fez sua estreia após quase quatro meses sem disputar uma partida por conta de um imbróglio na sua renovação contratual.

Renyer assinou ao fim de 2019 seu primeiro vínculo profissional com o Peixe após meses de renovação arrastada e agora tem multa rescisória de 100 milhões de euros (R$ 460 milhões). Elogiado pelo técnico Jesualdo Ferreira em entrevista recente, ele foi indicado pelo português como um dos melhores jovens atacantes do Brasil. O Menino da Vila superou nomes como Neymar, Rodrygo e o ídolo eterno Edu e se tornou o quinto jogador mais jovem a defender o Peixe profissionalmente.

"Fico muito orgulhoso de poder entrar para a história sendo um dos mais novos a atuar pelo Santos. Isso só faz com que eu tenha que trabalhar ainda mais duro para conseguir conquistar mais. A vida de um atleta é isso, buscar sempre bater metas e tentar ser a sua melhor versão sempre. Espero conseguir", comemorou.

Como era de se esperar para um atleta tão jovem e que nunca nem sequer havia sido relacionado para uma partida da equipe principal, Renyer relatou nervosismo nos primeiros toques na bola. À vontade no dia a dia do CT Rei Pelé, onde intercala treinamentos entre o time B e o principal, o jovem espera agora conquistar naturalidade também dentro de campo.

"Na hora que o professor me chamou fiquei muito nervoso, já estava há quatro meses sem jogar uma partida oficial pela base e voltei logo atuando pelo profissional. Fiquei meio travado, mas fui me soltando aos poucos. Sinto que vou aos poucos ganhando meu espaço, já estou me sentindo à vontade nos treinos e espero agora me sentir à vontade também nos jogos para dar muitas alegrias ao torcedor santista", completou o novo camisa 43 do Peixe.

Santos