PUBLICIDADE
Topo

Muralha tem contrato com o Flamengo até fim de 2020, mas volta é improvável

Alex Muralha comemora pênalti defendido contra o Figueirense na Série B - Divulgação/Coritiba Foot Ball Clube
Alex Muralha comemora pênalti defendido contra o Figueirense na Série B Imagem: Divulgação/Coritiba Foot Ball Clube

Léo Burlá e Marcello De Vico

Do UOL, no Rio de Janeiro e em Santos

05/12/2019 15h57

Resumo da notícia

  • Muralha tem contrato com o Fla até o fim de 2020, mas não deve ficar
  • Goleiro de 30 anos foi um dos destaques na campanha de acesso do Coxa
  • Dirigente do Coritiba disse que 'ainda não há definição' sobre o goleiro

Um dos destaques da campanha de recolocou o Coritiba na elite do futebol nacional, Muralha tem contrato com o Flamengo até dezembro de 2020, mas tem chances remotas de ser aproveitado no time rubro-negro. Segundo apurou o UOL Esporte, o goleiro de 30 anos tem interesse em permanecer no time paranaense para a próxima temporada, mas ainda não há nada definido entre os clubes.

"Deixei algumas coisas encaminhadas com meu empresário e vou tratar disso quando retornar", disse Muralha, que passa férias ao lado da esposa e do filho, que completou um ano em outubro.

Em contato com a reportagem, o executivo de futebol, Rodrigo Pastana, disse que o assunto ainda não foi tratado pelo Coritiba: "Ainda não temos definição". Vale lembrar que nem mesmo o dirigente confirmou se continua ou não no Coxa para 2020.

Caso Muralha não acerte a renovação com o Coritiba, o Flamengo deve reemprestá-lo a outro clube, uma vez que o seu retorno à Gávea é improvável.

Acesso coroa nova boa fase de Muralha

O acesso para a elite do futebol brasileiro pelo Coritiba veio coroar aquela que Alex Muralha considera ser uma das principais temporadas de sua carreira. Aos 30 anos, recentemente completados, o goleiro viu renascerem as grandes atuações que o levaram à seleção brasileira enquanto vestiu a camisa do Flamengo, em 2016.

"Eu sempre gosto de dizer que o melhor momento sempre está por vir, é importante ter objetivos na carreira. Tive fases marcantes nos clubes por onde passei no início da carreira, depois Figueirense, Flamengo e uma passagem incrível no Japão. Mas é inegável dizer que aqui no Coritiba tem sido especial. É um dos grandes clubes do país, possui uma torcida apaixonada, e reconduzi-lo para a primeira divisão, com boas partidas, foi um privilégio", conta.

Muralha viajou de férias ao lado da esposa e do filho tão logo a equipe retornou de Salvador, após vencer o Vitória, por 2 a 1, e garantir a classificação para a Série A do Campeonato Brasileiro - segundo ele, o jogo mais importante do time na competição.

"Foi a partida que garantiu o acesso, saímos atrás no marcador. Mas, analisando de uma maneira geral, foi uma Série B extremamente equilibrada, com oito, dez times brigando pelo G-4 em determinado momento da competição. Todo jogo acabou sendo uma decisão. Em alguns deles, entramos em campo sabendo que não tinha a opção do empate, era vitória ou vitória", relembra.

"Já sabia que iríamos subir"

Contratado em março deste ano por empréstimo até o final da Série B, Muralha ficou alguns jogos no banco de reservas durante o Estadual e virou titular depois que o ídolo Wilson se machucou. No total, ele sofreu apenas 26 gols em 35 partidas disputadas, sendo que, em quase metade delas (16), saiu de campo sem ser vazado.

"Eu confesso que quando cheguei ao Coritiba já sabia que iríamos subir, pelo projeto e pela ambição que me foi apresentada. E todos tiveram um papel importante nessa trajetória. Peguei um grupo muito unido e disposto, mas também tive o apoio da minha família, da minha esposa, do preparador de goleiros Tiago Mehl, que foi fundamental para mim, e comissão técnica. E a torcida também, que me abraçou desde o meu primeiro dia aqui no clube. Todo mundo teve sua participação, esse grupo realmente acreditou que podia fazer história", disse.

Flamengo