PUBLICIDADE
Topo

Fluminense e Fortaleza fazem jogo 'morno' e ficam no empate no Maracanã

Yony González, atacante do Fluminense, tenta passar pela marcação dos jogadores do Fortaleza - MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Yony González, atacante do Fluminense, tenta passar pela marcação dos jogadores do Fortaleza Imagem: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

04/12/2019 23h21

Já livre da possibilidade de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Fluminense recebeu o Fortaleza, no Maracanã, e as equipes ficaram no empate sem gols, em uma partida que não foi das mais animadoras para suas torcidas.

Com o resultado, o time carioca, que briga por vaga na Sul-Americana, chegou aos 43 pontos. O Fortaleza, que iniciou a rodada ainda com chance de classificação à Libertadores, chegou aos 50 e não tem mais oportunidade de ir à competição —o Internacional tem 54.

Na próxima rodada, a última da competição, o Fluminense visita o Corinthians, enquanto a equipe de Rogerio Ceni recebe o Bahia.

Quem foi bem? Caio Henrique e Edinho

O lateral-esquerdo do Fluminense foi bem, criou chances e foi um dos jogadores que mais deu trabalho ao adversário. Com contrato de empréstimo pelo Atlético de Madrid, da Espanha, e futuro indefinido, ouviu gritos de "fica" da arquibancada. Edinho foi importante no estilo de jogo adotado pelo Fortaleza no Maracanã. O jogador conseguiu articular as saídas de bola e, com velocidade, ajudou nos contra-ataques.

Quem foi mal? Dodi e Paulão

Tanto Dodi quanto Paulão prejudicaram Fluminense e Fortaleza, respectivamente, com expulsões. Paulão, zagueiro do time comandado por Rogerio Ceni, recebeu o cartão vermelho após bobear na zaga e perder a bola para João Pedro. Pouco depois, Dodi também foi punido após uma cotovelada em Juninho, em disputa pelo alto no meio de campo.

Torcida irritada com Nenê

Nenê, que ganhou a vaga de titular com a lesão de Ganso, já não anda mais às voltas com boas performances no Fluminense. O jogador de 38 anos irritou a torcida no primeiro tempo com erros de passe e movimentação aquém do esperado. O experiente meia foi substituído no segundo tempo e foi vaiado ao sair de campo.

Fluminense - domínio, mas falhas no último passe

O time comandado por Marcão conseguiu manter a posse de bola e trocar passes no campo de ataque, mas falhou bastante nas conclusões das jogadas. O Tricolor chegava melhor nos avanços pela ala esquerda, onde Caio Henrique e Yony se movimentavam bem. Apesar de ter presença na intermediária de ataque, faltou furar o bloqueio dos visitantes.

Fortaleza - defesa sólida e busca pela contra-ataque

O Fortaleza ficou mais fechado, com um volume maior de jogadores no sistema defensivo, buscando os espaços para sair em velocidade. Apesar de, vez ou outra, conseguir explorar o contra-ataque, pouco conseguiu criar na frente.

Cronologia do jogo

O primeiro tempo não foi de muitas oportunidades de gol. Em casa, o Fluminense conseguiu ditar o ritmo e teve uma presença maior no campo de ataque. O time comandado pelo técnico Marcão avançava, principalmente pelo lado esquerdo, mas pecava no "último passe", não conseguindo entrar na área. Certas por falta de capricho na troca de passe e outras pela forte marcação imposta pelo Fortaleza.

Os visitantes adotaram a estratégia de esperar o Flu e apostar nos contra-ataques. A equipe comandada por Rogerio Ceni até conseguiu, em passes longos, aproveitar os espaços nas costas da defesa adversária, mas também sem sucesso.

Um chute de longa distância de Yony e uma bicicleta de Marcos Paulo foram os lances que fizeram a torcida levantar.

Clima quente

Na saída para o intervalo, o lateral-direito Gilberto e o volante Yuri discutiram de forma bastante ríspida. O bate-boca durou até a entrada do vestiário, e o meia Nenê afastou os dois. "Coisa de futebol, normal. Às vezes, algumas coisas saem do controle, mas é coisa do futebol", disse Caio Henrique, ao Premiere, ao ser questionado sobre o episódio.

Sem muita criatividade

Na volta do intervalo, as estratégias do times não mudaram muito, assim como o panorama da partida. O Fluminense trocava passes no campo de ataque em buscas de espaços no setor defensivo do Fortaleza. Enquanto isso, a equipe cearense tentava explorar os erros do adversário e sair em velocidade.

Mudança no Flu e expulsão no Fortaleza

Marcão, então, tentou mudar o rumo da partida e colocou em campo Wellington Nem e João Pedro. Pouco depois de entrar, João Pedro, um dos destaques do Flu no primeiro semestre, conseguiu tomar uma bola de Paulão e sair em direção ao gol. O zagueiro fez a falta, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso, deixando o Fortaleza com um a menos aos 25 minutos do segundo tempo.

Com o apoio da torcida, o Fluminense tentou aproveitar a vantagem numérica e partiu para cima, pressionando a saída de bola.

Porém...

O time tricolor não ficou muito tempo com um jogador a mais. Aos 31 minutos, Dodi disputou a bola no alto com Juninho, mas deu uma cotovelada no adversário e também recebeu o segundo cartão amarelo. Em campo, 10 jogadores para cada lado.

Quase!

Nos acréscimos, Wellington Nem saiu na cara de Felipe Alves, mas o goleiro do Fortaleza fez a defesa. Pouco depois, voltou a pegar, desta vez, em chute de Daniel, evitando a derrota.

Protestos ao apito final

Pouco depois que o fim do jogo foi decretado, os tricolores presentes protestaram. Com gritos de "Queremos jogador", os torcedores demonstraram insatisfação com o resultado e com a campanha no decorrer do Campeonato Brasileiro, em que o time brigou contra o rebaixamento em quase a totalidade da competição.

Teste no VAR

Durante a partida, caso fosse necessária a necessidade de o árbitro ir ao VAR, o lance seria reproduzido nos telões do Maracanã. Foi a primeira vez que este procedimento foi realizado na América Latina em jogos entre clubes.

Torcida do Fluminense compareceu ao Maracanã para o jogo contra o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro - FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC - FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Imagem: FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

'Despedida' com casa cheia

O jogo contra o Fortaleza foi o último do Fluminense em casa em 2019. E na "despedida" do Maracanã, a torcida foi ao estádio em bom público, empurrando o Tricolor para cima dos cearenses. Quase 40 mil pessoas estiveram "jogando junto" do Flu apesar da atuação fraca. Os presentes só chiaram com os constantes erros da equipe no último passe e com a arbitragem de Raphael Claus, principalmente na expulsão de Dodi.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 0 x 0 FORTALEZA


Data: 4 de dezembro de 2019, quarta-feira Hora: 21h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa/SP) Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa/SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP)
Público e renda: 39.034 pagantes / R$ 445.735,00
Gols: -
Cartões amarelos: Yony González e Dodi (Fluminense); Paulão (Fortaleza)
Cartões vermelhos: Paulão, do Fortaleza, aos 25 minutos; e Dodi, do Fluminense, aos 31 minutos

FLUMINENSE: Marcos Felipe, Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri, Dodi, Daniel e Nenê (Wellington Nem); Yony González (João Pedro) e Marcos Paulo (Evanilson). Técnico: Marcão

FORTALEZA: Felipe Alves, Tinga, Quintero, Paulão e Carlinhos; Felipe, Juninho, Osvaldo (André Luís) e Edinho; Romarinho (Bruno Melo) e Wellington Paulista (Kieza). Técnico: Rogério Ceni

Fluminense