Topo

Vice do Santos retorna e destitui membros do CG; STJD nega "validade"

Orlando Rollo, vice-presidente do Santos - Ivan Storti/Santos
Orlando Rollo, vice-presidente do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

11/11/2019 13h18

Resumo da notícia

  • Orlando Rollo, vice-presidente do Santos, estava licenciado e retornou hoje ao cargo
  • Cartola acredita ser o "presidente em exercício" no clube por causa da punição de 15 imposta pelo STJD a José Carlos Peres
  • Rollo protocolou a saída de quatro membros do Comitê de Gestão do clube e indicou substitutos - que precisam ser aprovados pelo Conselho Deliberativo
  • Presidente e vice entraram em rota de colisão desde o início da gestão, culminando em críticas públicas e uma portaria que tirou os poderes do vice

O vice-presidente Orlando Rollo retornou da licença do cargo na manhã de hoje (11) e foi à Vila Belmiro com cerca de 20 ex-funcionários. A primeira atitude do cartola destituir quatro membros do Comitê de Gestão e indicar os substitutos. O Santos questionou o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sobre a suspensão de Peres e o órgão negou que se estenda à parte administrativa.

Rollo voltou ao cargo sob a premissa de ser o "presidente em exercício", já que José Carlos Peres está suspenso pelo STJD por 15 dias após declarações sobre um suposto favorecimento do VAR ao Flamengo. O departamento jurídico do Peixe, no entanto, não reconhece o fato e conseguiu um documento oficial do Tribunal esclarecendo que a suspensão é apenas para o âmbito desportivo.

"A pena de suspensão imposta (i) impede a participação do apenado, mas somente na respectiva modalidade desportiva (futebol); (ii) limita acesso às praças desportivas (estádio de futebol), mesmo assim apenas aos recintos reservados e durante a realização das partidas; (iii) proíbe a prática de atos oficiais referentes à respectiva modalidade desportiva (futebol); além de, por fim, (iv) vedar o exercício de qualquer cargo ou função em entidades de administração do desporto da modalidade (FIFA, CBF ou FPF, por exemplo), ou perante a Justiça Desportiva (TJD ou STJD do Futebol, por exemplo)", escreveu o STJD em documento enviado.

Ainda assim, o vice-presidente indicou as saídas dos membros Pedro Dória, Anilton Perão, José Bruno Carbone e Paulo Schiff. O presidente do clube tem poder de pedir as saídas, mas para a substituição precisa de aprovação do Conselho Deliberativo. Os novos membros indicados foram Luiz Fernando de Oliveira Almeida Cardoso, Mário Badures, Mariza Brigido Mendes e Orlando Lopes Parra.

O cartola chegou pela manhã acompanhado de cerca de 20 ex-funcionários demitidos pelo clube durante o conflito entre Rollo e Peres, que culminou em uma votação de Assembleia Geral de Sócios pelo impeachment do atual mandatário, que acabou vencida por Peres.

Depois disso, o presidente emitiu uma portaria tirando os poderes do vice, ordenando que nenhum departamento ou funcionário do clube acatasse alguma ordem de Orlando Rollo mediante punição. Desde então, o cartola esteve licenciado e só decidiu por voltar ao clube após, na última terça-feira, o Conselho Deliberativo do Santos votar pela anulação da portaria e restituir os poderes do vice-presidente.

Santos