Topo

Santana tem respaldo, mas números piores que antecessores no Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

03/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Rodrigo Santana mantém respaldo da diretoria do Atlético-MG, mesmo com a má fase do elenco
  • Treinador tem o pior rendimento dos últimos quatro técnicos do clube - Levir (63,44%), Thiago (56,86%) e Oswaldo (55%)
  • Início de Rodrigo foi animador, mas técnico sofreu queda recentemente, despencando no Brasileiro e sendo eliminado da Sul-Americana
  • Na noite de ontem, técnico se reuniu com diretoria e ouviu cobranças. Troca no comando é descartada até o momento

O discurso da diretoria do Atlético-MG sobre Rodrigo Santana é de respaldo. O diretor de futebol Rui Costa disse, na última sexta-feira (27), que daria continuidade ao seu trabalho. No entanto, o aproveitamento obtido sob o comando do técnico é o pior dentre os últimos quatro que estiveram no mesmo cargo.

Em 38 partidas à frente do Galo, o treinador obteve 18 vitórias, cinco empates e 15 derrotas. O rendimento à frente do time é de 51,75%. Os últimos três comandantes - Levir Culpi (63,44%), Thiago Larghi (56,86%) e Oswaldo de Oliveira (55%) - tiveram números superiores ao do atual comandante.

À frente da equipe desde abril, quando Levir Culpi foi demitido por conta da campanha na Copa Libertadores, Rodrigo Santana fez um bom início de primeiro turno e conduziu a equipe à semifinal da Sul-Americana 2019. Todavia, desde os jogos das quartas de final do torneio continental, encontra dificuldades para manter o bom desempenho. Não à toa o seu time despencou da quarta para a décima colocação no Campeonato Brasileiro e foi eliminado da competição internacional.

Dono do pior aproveitamento dentre os últimos quatro técnicos e fora da briga de importantes torneios, Rodrigo Santana passa a ser cada vez mais pressionado na Cidade do Galo. Hoje, ele segue no cargo. No entanto, o seu trabalho passa a ser visto com desconfiança por torcida e até nos bastidores do clube, mesmo que o discurso de respaldo seja mantido.

Na noite de ontem, logo após a derrota por 2 a 1, de virada, para o Vasco, o técnico ficou ao lado do diretor de futebol Rui Costa e do presidente Sérgio Sette Câmara por mais de 30 minutos em um vestiário do Independência para conversar sobre o momento da equipe. A reunião, contudo, teve tom de cobrança e não foi mencionada a possibilidade de troca do comandante. Ao deixar o estádio, ninguém quis falar sobre o assunto.

Veja, abaixo, o aproveitamento dos últimos quatro treinadores do Atlético-MG:

Rodrigo Santana - 38 jogos
18 vitórias
5 empates
15 derrotas
51,75% de aproveitamento

Levir Culpi - 31 jogos
18 vitórias
5 empates
8 derrotas
63,44% de aproveitamento

Thiago Larghi - 51 jogos
25 vitórias
12 empates
14 derrotas
56,86% de aproveitamento

Oswaldo de Oliveira - 20 jogos
8 vitórias
9 empates
3 derrotas
55% de aproveitamento*

*Na gestão de Sette Câmara, foram seis jogos sob a batuta de Oswaldo de Oliveira, com duas vitórias, três empates e uma derrota. Aproveitamento de 50%.