Topo

Após início dos sonhos, Mano Menezes tem desafio de "desacelerar" Palmeiras

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

15/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Mano Menezes tenta implantar estilo mais cadenciado no Palmeiras
  • Alguns lances na vitória sobre o Cruzeiro causaram broncas do técnico
  • Mesmo assim, Mano tem aprovado o desempenho da equipe
  • Time tem três vitórias em três jogos com o novo treinador

Mano Menezes dificilmente poderia ter pedido por um início melhor no Palmeiras. Depois de chegar em meio à turbulência que derrubou Luiz Felipe Scolari, o treinador engatou imediatamente três vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro, colocou o time na vice-liderança e recuperou a confiança que vinha faltando dentro de campo. Mas mesmo considerando os resultados excelentes e o desempenho satisfatório, o técnico tem agora o desafio de fazer a equipe "desacelerar".

A ideia de Mano é um time que troque mais passes, construa jogadas com paciência e ataque em bloco. Bem diferente do que pensava Felipão, que preferia um time que chegasse rapidamente ao ataque, com poucos toques, e definisse logo a jogada. Na vitória de ontem por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, ficaram claras algumas broncas do treinador à beira do campo quando o time esticava uma bola precipitadamente em vez de pausar o ritmo. Uma delas foi quando o lateral Marcos Rocha optou por um lançamento longo ao recuperar uma bola.

"O jogo se joga de várias maneiras, e todas são boas. O excesso que é ruim. A jogada específica foi com o Marcos Rocha mesmo. O jogo já tinha ido cinco vezes para lá e cinco para cá rapidamente, e nós pegamos a sexta bola, então não era hora de acelerar. O time está indo e voltando com muita frequência. O posicionamento vai embora. Nessa hora você segura a bola, o time reposiciona, e vamos começar a construir de novo. É só isso", explicou Mano.

Na tentativa de formar um time mais ao seu estilo, que trabalhe mais a bola, o técnico enfrenta até alguns obstáculos da própria identidade do Palmeiras. A postura da torcida no Allianz Parque, por exemplo, é de quase sempre incentivar um jogo mais acelerado, reclamando quando a bola é tocada para trás ou quando uma chance de contra-ataque é desperdiçada. Isso também foi observado pelo treinador.

"O torcedor também nos apressa um pouquinho. Nós temos que ter a capacidade de entender que, embora o torcedor seja a parte mais importante para nós, o jogo é jogado por nós. Tem dias que está mais difícil do que parece, tem dias que você tem que ser mais maduro para saber conviver com esses momentos. Nesses momentos, quando se precipita, se perde partidas importantes", avaliou.

Mano Menezes orienta o Palmeiras contra o Cruzeiro - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Mano Menezes orienta o Palmeiras contra o Cruzeiro
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Apesar de esse processo de mudança ainda estar, naturalmente, bem no início, Mano considera que já foi possível notar diferenças grandes em relação a como a equipe atuava com Felipão. Nas vitórias sobre Goiás, Fluminense e Cruzeiro, o time trocou mais passes, cruzou menos bolas e procurou fazer jogadas pedidas pelo treinador, como esperar a ultrapassagem dos laterais, virar o jogo para o outro lado e usar a chegada dos volantes para finalizar.

Agora, com sua primeira semana cheia para trabalhar, o treinador espera dar mais um passo nesse sentido antes da partida contra o Fortaleza, no próximo domingo (22), no Castelão. O Palmeiras terá dois dias de folga e se reapresenta na terça (17) para iniciar os treinos da semana na Academia de Futebol. Com 39 pontos, o Verdão está na vice-liderança do Brasileirão, atrás apenas do Flamengo, que tem 42.

Mais Palmeiras