PUBLICIDADE
Topo

VAR é usado três vezes, Atlético-MG faz 5 no Boa e fará final com Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

07/04/2019 17h55

O Atlético-MG está na final do Campeonato Mineiro. Depois de empatar sem gols no jogo da ida, o Galo recebeu o Boa Esporte no Mineirão e venceu com uma goleada por 5 a 0. Desta forma, a decisão do estadual será decidida em dois jogos contra o maior rival, Cruzeiro, que eliminou o América-MG. Pelo fato de ter feito a melhor campanha na primeira fase, o time de Levir Culpi terá a vantagem de ficar com o título se empatar os dois jogos ou se tiver uma derrota e uma vitória pela mesma diferença de gols.

Utilizado a partir da semifinal do Mineiro, o VAR "entrou em campo" em três lances capitais, mas só anulou um gol atleticano. Luan, Elias, Victor (contra), Geuvânio e Vinícius foram os autores que contribuíram diretamente na goleada.

Quem foi bem: Cazares estava naqueles dias que a torcida do Atlético sempre pede. Pressionando a saída de bola e mostrando muita disposição, o jogador foi o principal organizador das jogadas do Galo. Dono da bola parada, participou de três gols da equipe. Saiu ovacionado no segundo tempo.

Quem foi mal: apesar de ter marcado seu gol no início do segundo tempo, Geuvânio não fez uma boa estreia como titular. O jogador atuou no lugar de Maicon Bolt, poupado, e não conseguiu produzir nada durante a etapa inicial, mesmo quando as jogadas saíram da esquerda e foram produzidas em seu lado de atuação, com Guga.

Galo começa bem e assusta pelo alto

Com Ricardo Oliveira se movimentando bem, e Cazares e Luan pilhados, o Atlético foi o único a criar chances claras de gol. Em menos de dez minutos, a equipe deu as caras e mostrou que iria explorar bem as jogadas aéreas. Nos cruzamentos de Cazares, Réver e Fábio Santos cabecearam dentro da área e com perigo. Instantes mais tarde, Fábio Santos cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira, que finalizou a centímetros da trave. Do outro lado, o Boa até chegou em alguns momentos, mas não mostrou qualidade nenhuma para marcar, nem mesmo nos vacilos proporcionados pelos anfitriões. Apesar de não ter a vantagem, o time visitante atrasou o jogo, não teve pressa e mostrou estar claramente jogando por uma bola enquanto a partida ainda estava empatada.

Luan sofre com o VAR e precisa fazer três para valer um

No jogo da ida, o Atlético já teve dois gols anulados após uso do VAR. Não foi diferente na volta. Cazares cobrou escanteio, o goleiro Renan saiu mal e Luan desviou para as redes. Após a comemoração alvinegra, Daronco foi chamado para rever o lance e acabou anulando o tento em menos de dois minutos. Mas praticamente no ataque seguinte, Luan voltou a completar um cruzamento e anotou outro gol. Desta vez, Daronco não precisou ir à cabine, mas segurou a partida por mais de três minutos até validar o gol do atacante. Este foi o terceiro gol do menino maluquinho na semifinal, mas apenas o primeiro a não ser validado pelo VAR.

Solidário, Ricardo Oliveira presenteia contestado Elias

Só após levar o primeiro gol é que a equipe do Boa imprimiu mais intensidade ao ataque. Mas a pressa e necessidade para empatar o jogo também ofereceu os espaços que antes não existiam. Em um contra-ataque mortal, Cazares serviu Elias, que deixou Ricardo Oliveira na cara do gol. Apesar de ser o artilheiro do Galo no ano, o camisa 9 abriu mão do 11º gol no ano para devolver o passe e ver o companheiro que tem sofrido com as críticas mandar para as redes. Ainda antes do intervalo, Cazares cruzou na área e o zagueiro Victor mandou de cabeça para o próprio gol. 3 a 0 ainda antes do intervalo.

Geuvânio permanece em campo e marca primeiro gol pelo Atlético

Apesar de um primeiro tempo muito apagado e praticamente sumido em campo, Geuvânio apareceu nos primeiros minutos da etapa final. O atacante pressionou a saída de bola do Boa e foi premiado com uma derrapada do zagueiro Fernando para sair na cara do gol. De perna esquerda, tirou do goleiro e anotou o quarto do Galo.

VAR é usado de novo, e Atlético enche a mão de gols

Pela terceira vez no jogo, o VAR foi utilizado em um lance que terminou em gol. Na troca de passes entre Chará, Elias e Vinícius, o meia balançou as redes, mas o bandeirinha anotou impedimento. Novamente, Daronco conversou com Wagner do Nascimento Magalhães, árbitro de vídeo, e corrigiu o erro dentro de campo, validando o gol.

ATLÉTICO-MG x BOA ESPORTE

Motivo: Volta da semifinal do Campeonato Mineiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Data/Hora: 07/04/2019, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco
Assistentes: Bruno Boschilia e Felipe Alan Costa de Oliveira
Árbitro de vídeo: Wagner do Nascimento Magalhães

GOLS: Luan, 24'1ºT (1-0); Elias, 40'1ºT (2-0), Victor, contra, 48'1ºT (3-0), Geuvânio, 2'2ºT (4-0); Vinícius, 28'2ºT (5-0)
Cartões amarelos: Réver (CAM), César Sampaio (BOA)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 44.981 presentes/R$436.456,00.

Atlético-MG: Victor; Guga, Réver (Leonardo Silva, 6'2ºT), Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, Elias; Cazares (Vinícius, 7'2ºT), Luan (Chará - 23'2ºT) e Geuvânio; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.

Boa Esporte: Renan Rocha; Chiquinho, Fernando, Ferreira (Victor - 37'1ºT) e Tsunami; César Sampaio, Claudeci e Gabriel Vieira (Dênis - Intervalo); Gindré (Jayme - 28'2ºT), Kaio e Gustavo. Técnico: Tuca Guimarães.

Futebol