PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fifa quer 48 seleções já em 2022 e busca país para dividir Copa com Qatar

Gianni Infantino durante conferência da FIFA em Londres, após a Copa do Mundo da Rússia  - Alexander Hassenstein - FIFA/Getty Images
Gianni Infantino durante conferência da FIFA em Londres, após a Copa do Mundo da Rússia Imagem: Alexander Hassenstein - FIFA/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

15/03/2019 14h13

A Fifa confirmou hoje (15) o plano de aumentar o número de participantes da Copa do Mundo já em 2022. Durante entrevista coletiva, o presidente da entidade, Gianni Infantino, disse que uma decisão deve acontecer em junho.

A competição será realizada no Qatar, mas, com mais seleções, outros países podem receber jogos. De acordo com Infantino, a possibilidade ficou viável após a apresentação de um relatório de viabilidade.

"Não é uma decisão fácil, devemos analisar isso com cuidado. Estamos trabalhando muitos próximos ao Qatar para ver quais propostas podem ser feitas. O que está claro é que, se decidirmos aumentar, alguns países vizinhos vão receber partidas. Se der certo, tudo bem. Se não der, tudo bem. Ao menos não ficaremos com arrependimento por não ter analisado a questão", afirmou.

O aumento no número de países que disputam a Copa do Mundo é um desejo antigo do atual presidente da Fifa. A decisão, no entanto, dependerá da aprovação do Conselho da entidade, que vai se reunir em junho.

A Fifa também anunciou hoje a reformulação do Mundial de Clubes a partir de 2021. A competição será realizada a cada quatro anos e deve contar com a participação de 24 times.

O torneio estreará em "junho ou julho de 2021" e entra no calendário como substituto da Copa das Confederações, que deixará de ser disputada. Mais cedo, a associação de clubes europeus havia prometido boicotar um novo Mundial de Clubes. Infantino minimizou.

"Vamos ver um torneio real, que vai coroar o campeão mundial de clubes", disse. A competição substituirá o atual formato, que continuará até 2020.

Futebol