PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Fluminense pode jogar nove vezes em um mês

Atacante Luciano durante partida do Fluminense - Lucas Merçon/Fluminense
Atacante Luciano durante partida do Fluminense Imagem: Lucas Merçon/Fluminense

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

03/03/2019 04h00

O Fluminense vem de dois empates consecutivos diante de times considerados inferiores tecnicamente. Não bastasse a fase irregular, agora encara uma maratona. No "março louco" tricolor, a equipe pode ter nove compromissos em 31 dias, se o time chegar à final da Taça Rio. O calendário apertado contempla partidas do Carioca, da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana.

Assim como os outros colegas de profissão, Fernando Diniz também lamentou a impossibilidade de fazer ajustes ao longo da semana: "Quando você não repete a equipe, perde um pouco em entrosamento. A gente tem pouco tempo para treinar".

A temporada começa a cobrar a conta e o Flu convive com suspensões e questões médicas. No empate contra o Resende, Diniz poupou Gilberto, que retornou recentemente após quase seis meses de recuperação de edema ósseo. Suspensos, Airton, Bruno Silva e Digão desfalcaram a equipe.

"Mas não posso falar que foi determinante (os desfalques). Os jogadores são treinados para entrar e corresponder", pontuou Diniz.

Ao menos hoje os tricolores terão um dia de refresco, já que o elenco terá seu único dia de folga durante todo o período de folia. A equipe retoma amanhã as atividades em seu centro de treinamento.

Fluminense