Topo

Futebol


Ganso é do Flu! Tricolor se acerta com Sevilla e anuncia meia por 5 anos

Do UOL, do Rio de Janeiro

31/01/2019 19h32

As conversas caminharam, o namoro esquentou e terminou em casamento. Após dias de negociação, o Sevilla aceitou a oferta e liberou Ganso para o Fluminense. O acordo é de cinco anos.

Leia também:

Flu chega a prejuízo de mais de R$ 840 mil em três jogos do Carioca
Sem fartura, Diniz adia rodízio e reforça identidade do Fluminense
Everaldo fala sobre parceria com Yony no Flu: "meu espanhol é fera"

As tratativas já estavam adiantadas, mas faltava definir exatamente os percentuais a serem pagos pelas partes em relação aos vencimentos do camisa 10, que ganha cerca de R$ 1,2 milhão no clube espanhol.

Para vir ao Flu, Ganso teve de reduzir um pouco a sua perspectiva salarial, visto que o Tricolor não poderia ultrapassar muito a sua média mensal por jogador, que é de R$ 150 mil. Pelo ex-santista, no entanto, o Flu se dispôs a esticar um pouco a corda.

O nome de Ganso chegou aos ouvidos do técnico Fernando Diniz, que acatou imediatamente a ideia. A partir daí, o diretor Paulo Angioni sentou à mesa para negociar. Em busca de protagonismo, o jogador será recepcionado de forma calorosa por grande parte da torcida, que demonstrou apoio à contratação desde que a notícia veio à tona. Até mesmo um funk foi criado em homenagem ao atleta com provocações ao Flamengo.

Desde que manifestou seu interesse no jogador, o Flu travou uma espécie de jogo de xadrez com o Sevilla, clube espanhol que detinha os direitos do apoiador. A princípio, os dirigentes do da equipe da Andaluzia tratavam o Tricolor como a opção menos interessante, visto que um negócio para a Europa seria o cenário ideal. O tempo passou, as propostas não chegaram e a janela de transferências fechou. Sem negócio no Velho Continente, o Flu, que adotou a paciência como tática, surgiu como a alternativa.

Mesmo que Ganso ainda não tenha pisado no clube, o camisa 10 já dominava as rodas de conversas entre os tricolores e o tema sequer causou constrangimento a Diniz, que deu o tom do namoro entre as partes.

"O desejo do Fluminense, o meu em particular e o do Ganso é de que consigamos reunir nossas forças no clube para fazer uma temporada muito boa", disse.

Agora tricolor, o apoiador volta ao Brasil após passar sem sucesso pelos dois clubes europeus. No Brasil, ele já havia defendido Santos e São Paulo. O clima nas Laranjeiras é de euforia pelo acordo, e a ideia é que ele seja apresentado aos torcedores com festa no Maracanã antes da semifinal da Taça Guanabara.

Abad muda a rota

Em vias de deixar a presidência do Fluminense, Pedro Abad mudou de atitude em relação a acordos que ultrapassariam o tempo de sua gestão. Inflexível nas negociações com Gum e Júlio César, por exemplo, o mandatário não queria assinar nenhum trato que ultrapassasse dezembro de 2019, quando deixaria o cargo originalmente. Os jogadores desejavam assinar por ao menos dois anos, mas o tricolor não topou.

Disposto a trazer um jogador com o peso de Paulo Henrique Ganso, foi mais maleável neste caso e aceitou um contrato de cinco anos de duração. Caberá ao próximo presidente cumprir com as bases acordadas pelo atual dono do cargo.

Mais Futebol