PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mal com Jair, Gabigol vira faz tudo e 'único goleador' do Santos com Cuca

Gabigol soma 22 gols na temporada, sendo 13 no Brasileirão - Pedro Vale/AGIF
Gabigol soma 22 gols na temporada, sendo 13 no Brasileirão Imagem: Pedro Vale/AGIF

Do UOL, em Santos (SP)

25/09/2018 04h00

Antes de Cuca assumir o comando do Santos, no fim de julho, a fase de Gabriel Barbosa acompanhava a do time, com ambos em baixa. Com Jair Ventura, o atacante chegou a acumular uma sequência de oito jogos sem ir às redes e passou a ser um dos jogadores mais contestados pelos torcedores durante o momento ruim da equipe, que lutava para deixar a zona de rebaixamento. A mudança de treinador, porém, acabou resultando em grande melhora no desempenho de Gabigol, que voltou a fazer jus ao apelido e hoje é o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 13 gols – três a mais que os vice-líderes Pedro, Pablo e Ricardo Oliveira.

A evolução faz com que Gabigol centralize as ações ofensivas do Santos e até levanta um questionamento: há, no time de hoje, uma "Gabigoldependência"? Nesta terça-feira, dia 25, o time alvinegro completa um mês do último jogo em que outro atleta do Santos, sem ser Gabriel, foi às redes: Derlis González, na vitória por 2 a 0 contra o Bahia.

Desde o dia 25 de agosto, o Santos entrou em campo seis vezes e marcou seis gols. Todos eles de Gabriel. Foram três contra o Vasco (3 a 0), no Maracanã, dois contra o Paraná (2 a 0), na Vila Capanema, e um na derrota para o Cruzeiro (2 a 1), no último domingo (23), no Mineirão.

Com Jair Ventura, Gabriel havia marcado cinco gols em 15 jogos do Brasileirão. Depois da chegada de Cuca, foram oito tentos em dez partidas da competição, o que comprova o crescimento do atacante, que passa a ser líder do time dentro e fora de campo. Ao mesmo tempo, porém, faz a equipe se tornar mais dependente de um jogador só.

Atualmente, Gabriel está pendurado com dois cartões amarelos e desfalcará o Santos em caso de nova advertência. Olhando para o futuro, o atacante está emprestado pela Inter de Milão só até o fim deste ano e, a princípio, deixa o clube em dezembro. Apesar da turbulência política, a diretoria trabalha para tentar negociar a permanência do atacante para 2019.

Ausência de ‘gols dos outros’ não é por falta de chances

O fato de apenas Gabriel marcar gols nos últimos seis jogos do Santos não está ligado à falta de criação de jogadas para finalização, e sim por conta da pontaria ruim dos jogadores. Na derrota para o Cruzeiro, no último domingo (23), Bruno Henrique e Rodrygo perderam boas oportunidades. O mesmo Rodrygo teve a "bola do jogo" no clássico contra o São Paulo, mas também não balançou as redes. Algo que vem perseguindo o Santos neste Brasileiro.

"Vou dormir tranquilo e em paz. Acho que a gente está ali querendo acertar, e não errar. Obviamente que a gente errou hoje, mas também fez. É normal do atacante, de todos os jogadores. Se a gente chegou e teve chances é porque trabalhou para isso. Tentamos fazer o nosso melhor. Então, a gente vai dormir em paz e muito tranquilo", disse Gabigol, que completou 200 jogos com a camisa do Santos no confronto com o Cruzeiro.

Veja os gols do Santos nos últimos sete jogos:

Cruzeiro 2 x 1 Santos - Gabigol
Santos 0 x 0 São Paulo
Paraná 0 x 2 Santos - Gabigol (2)
Santos 0 x 0 Grêmio
Vasco 0 x 3 Santos - Gabigol (3)
Santos 0 x 0 Independiente
Santos 2 x 0 Bahia - Gabigol e Derlis González

Futebol