PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Desempenho ruim em campo faz Atlético projetar arrecadação menor para 2018

Atlético-MG amarga resultados ruins em 2017 e pode ficar fora da Libertadores após cinco anos - Guilherme Hahn/AGIF
Atlético-MG amarga resultados ruins em 2017 e pode ficar fora da Libertadores após cinco anos Imagem: Guilherme Hahn/AGIF

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

31/10/2017 13h56

O Atlético-MG tinha muitas ambições na temporada 2017. Para isso o clube investiu pesado na montagem do elenco, visando brigar pelos principais títulos. No entanto, mesmo com uma das folhas salariais mais altas do futebol brasileiro, o Galo não conseguiu chegar perto das grandes conquistas. O único título deste ano foi o Campeonato Mineiro, conquistado sobre o rival Cruzeiro. O reflexo do desempenho ruim dentro de campo pode ser notado na arrecadação do clube em 2018.

De acordo com o documento obtido pelo UOL Esporte e que será avaliado pelos conselheiros, no dia 6 de novembro, o Atlético projeta uma arrecadação de R$ 296 milhões em 2018. Uma queda significativa se comparada com as duas últimas temporadas, quando o Galo superou a barreira dos R$ 300 milhões.

Pelo balanço financeiro divulgado pelo Atlético, em abril deste ano, no ano passado o faturamento total foi de R$ 316 milhões. Já os valores da temporada atual só serão divulgados no próximo ano. No entanto, pelo orçamento aprovado pelo conselho deliberativo em novembro do ano passado, a previsão de faturamento para 2017 é de R$ 328 milhões.

Entre os números divulgados pelo Atlético visando o próximo ano, a queda de receita está diretamente ligada à redução do faturamento com televisão. Para a temporada atual o clube projetou faturar mais de R$ 173 milhões só com transmissão dos jogos. Para 2018, a projeção é conseguir R$ 119 milhões com esse ativo.

Por outro lado, o Atlético espera receber mais dinheiro com outras fontes de receitas, como no programa de sócio-torcedor e venda de ingressos. Um aumento de R$ 10 milhões na projeção de 2018 em comparação com a temporada atual, subindo de R$ 54,7 milhões para R$ 64,7 milhões. Assim como nos patrocínios, em que projeção passa para R$ 35 milhões, superando os R$ 25 milhões de 2017.

Futebol