PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Galiotte banca Mattos e Cuca: "Não ganhamos esse ano, mas vamos ganhar"

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras - Rivaldo Gomes/Folhapress
Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras Imagem: Rivaldo Gomes/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

22/08/2017 22h02

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, bancou a permanência do diretor de futebol Alexandre Mattos e do técnico Cuca não só até o final da atual temporada, mas indicou que também conta com ambos para 2018. Em entrevista à ESPN Brasil, o dirigente afirmou que ambos são profissionais vencedores e que já mostraram seu valor no clube alviverde.

"Temos contrato com o Cuca até o final de 2018. Da nossa parte, ele é o treinador do Palmeiras. Em algum momento, se o Cuca não se sentir à vontade, se achar que o ciclo dele terminou, é uma outra questão. Mas conto com o trabalho do Cuca, confio no Cuca. Foi campeão oito vezes em oito anos, a última conosco. O Cuca está mantido, eu sou bastante ponderado nas minhas decisões, mas não abro mão do comando. E o Cuca é o técnico do Palmeiras", disse Galiotte, que também exaltou Mattos.

"Vamos pensar um pouco, pensar no Palmeiras há uns anos e pensar no Palmeiras de hoje. É incomparável, a nossa situação de hoje é muito melhor. No início de 2013, trabalhando junto com o presidente Paulo Nobre, plantamos uma série de processos, uma série de novos modelos de administração, e profissionalizamos o clube. E o futebol também. O Alexandre Mattos participou desse processo a partir de 2015, ele chegou junto com a Crefisa. O departamento de futebol se transformou, e hoje nós temos um departamento diferente do que o Palmeiras tinha", afirmou.

"Um profissional vitorioso, muito competente, ganhou cinco títulos nos últimos quatro anos, e da mesma maneira que eu respondi do Cuca, eu respondo do Alexandre Mattos: eu não vou alterar a estrutura do futebol. É uma estrutura vencedora. Não ganhamos nesse momento, mas vamos ganhar. A partir do momento em que nós alterarmos a filosofia, aí vamos comprometer. Existe uma filosofia, existe um trabalho, que está dando certo. Não ganhamos esse ano, mas vamos ganhar. Ano que vem, no outro ano... o Palmeiras tem todos os atributos de que um time grande precisa para ser vencedor".

Segundo Galiotte, uma possível derrota para o rival São Paulo no clássico do próximo domingo (27), pelo Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque, não muda o cenário. "Presidente do Palmeiras tem que estar preparado para sofrer pressão em todos os momentos, inclusive quando ganha. Se formos mudar a filosofia por pressão, então estamos perdidos. Caso aconteça isso (derrota para o São Paulo), Mattos está mantido e Cuca está mantido", concluiu.

Futebol