PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Portuguesa vai até o fim com ação, mas já aceita jogar Série B

Guilherme Costa, Pedro Lopes e Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

11/04/2014 18h10

A Portuguesa está resignada em disputar a Série B em 2014. Após a sequência de vitórias da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) nos tribunais entre quinta e sexta-feira, o presidente do clube, Ilídio Lico, demonstrou tristeza e admitiu que vai jogar a segunda divisão do Brasileirão.

"Vamos continuar com a ação, mas fazer o quê...Vamos jogar a Série B", afirmou Lico.

Nos últimos dois dias, foram muitos golpes: a liminar que a Portuguesa tinha em seu favor, na Justiça de São Paulo, teve seus efeitos suspensos; a ação, assim como a ação civil do Ministério Público, foram ambas movidas para a 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca, onde há entendimento favorável à CBF. Nesta sexta, veio a pá de cal: a CBF conseguiu sua própria liminar, mantendo o clube paulista na Série B.

"Fala com o meu departamento jurídico que ele vai te explicar melhor. Mas vou ter que disputar a Série B e mais nada. Não tenho como te falar outra coisa" disse o cartola.

Apesar da sucessão de decisões contrárias, o clube seguirá com a ação na Justiça Comum. Outros diretores, incluindo o próprio departamento jurídico, reconhecem que a situação ficou mais complicada, mas como as liminares são todas provisórias, mantêm a esperança de que tudo ainda possa mudar.

"Penso que a ação tem ir até o fim, está no início só. Mesmo que a liminar venha a ser cassada, por último, quem irá ver isso é o STJ. Faz parte do jogo, quando você entra em uma demanda, você sabe o tempo que isso leva, os recursos cabíveis, e a gente está passando por isso" disse o vice-presidente jurídico, Orlando Cordeiro de Barros.

No marketing, o sentimento também é de mais esperança.

"Acho que é mais tristeza dele [Ilídio]. Nós sabemos que a situação ficou complicada, mas o juiz deu só uma suspensão ontem (quinta-feira). Essa decisão ainda pode ser mudada", afirmou o vice de marketing, José Luiz Ferreira de Almeida.

O advogado da Portuguesa, Daniel Neves, tem uma visão mais otimista, principalmente com relação ao conflito de competência. Neves tem convicção que o julgamento definitivo no STJ tem grandes chances de trazer os processos de volta à Justiça de São Paulo.

“Essa decisão no conflito de competência é uma decisão liminar, do ministro. Não tem nada definido com relação a isso. Acredito com firmeza total, que quando o merito for julgado, os processos serão mandados para São Paulo. A jurispurdência do STJ é neste sentido”, afirmou.

Neves disse que irá recorrer no STJ na segunda-feira, e espera que a decisão seja relativamente rápida.

“Segunda-feira já vamos recorrer, e vamos aguardar. Não costuma ser um processo muito lento. Acredito que vamos reverter essa situação: tem prova documental nos autos de que a citação foi em São Paulo foi no dia 15, no Rio, no dia 16. A primeira ação foi proposta em São Paulo, por um torcedor no Flamengo, no dia 9. A segunda, no dia 10, às 15h30, também em São Paulo. A primeira ação no Rio também foi no dia 10, mas às 20h30”, disse.

Antes do Brasileiro, é improvável que a situação se modifique. Para rodada de abertura da Série B, falta uma semana. Na Série A, apenas um dia a mais. Por enquanto, a estreia da Portuguesa é pela B, em Santa Catarina, diante do Joinville, no próximo dia 19.

 

Futebol