PUBLICIDADE
Topo

México


Torcida de ídolo dos EUA por seleção mexicana revolta até ex-companheiros

A convite de patrocinador, Landon Donovan declarou México como seu segundo time. Mas recebeu reprovação - @landondonovan/Twitter
A convite de patrocinador, Landon Donovan declarou México como seu segundo time. Mas recebeu reprovação Imagem: @landondonovan/Twitter

Do UOL, em São Paulo

17/06/2018 21h39

Classificação e Jogos

Aos 38 anos, o veterano atacante Landon Donovan se envolveu em uma polêmica durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Contratado por um banco que patrocina a seleção do México, o ex-jogador da seleção dos Estados Unidos se declarou torcedor da equipe mexicana no torneio.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

A ideia era que Donovan, que acertou com o Léon (MEX) no começo de 2018, motivasse o torcedor dos EUA a adotar o México como um segundo time na Copa do Mundo, uma vez que a seleção estadunidense não se classificou para a competição. Só que a campanha repercutiu mal entre jogadores e ex-jogadores compatriotas do atleta.

Alguns foram mais breves. O meia-atacante Ethan Finlay fez uma careta no Twitter, enquanto o ex-defensor Carlos Bocanegra (companheiro de Donovan nas Copas de 2006 e 2010) apenas questionou: “É sério?”.

A Bocanegra, Donovan respondeu diretamente no Twitter, mas sem confronto. “Você cresceu no sul da Califórnia e deve muito de sua habilidade ao fato de ter jogado com mexicanos. Seu pai é de ascendência mexicana. Olhe para seu país: você está feliz com a maneira como estamos tratando os mexicanos? Abra sua mente, posicione-se por algo e lembre-se do lugar de onde você veio”, disse.

Já outros ídolos do futebol local foram menos sutis com Donovan. Foi o caso de Taylor Twellman, ex-atacante que defendeu a seleção dos EUA entre 2002 e 2008.

“Eu prefiro cortar meu dedão do que torcer pelo México”, disse em seu Twitter ao ser questionado por um seguidor. “Como eu poderia torcer por meu/nosso rival? Imagina algum jogador do Chile torcendo pela Argentina hoje? Eu não consigo imaginar como a American Outlaws (torcida da seleção dos EUA) se sentiria se eu torcesse pelo México”, completou.

Ainda em sua argumentação, Twellman se classificou como “old school”, abrindo a possibilidade para que torcedores menos conservadores pudessem torcer pelos vizinhos do sul.

No Instagram, o ex-meio-campista Cobi Jones também refutou o convite de Landon Donovan.

“Não, cara. O México não é ‘meu time’. O México é um rival na Concacaf. No esporte, há algo sagrado sobre as rivalidades”, disse. “Eu não vejo o Brasil torcendo pela Argentina, a Inglaterra torcendo pela Alemanha, o Barcelona torcendo pelo Real Madrid, o Manchester United torcendo pelo Liverpool, o Los Angeles Lakers torcendo pelo Los Angeles Clippers, o New York Yankees torcendo pelo Boston Red Sox, etc. É esporte, e você tem a permissão de torcer contra alguém. Deixe nossa rivalidade regional em paz”, protestou.

México