PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Com venda de Gerson, Flamengo não terá mais de negociar jogadores em 2021

TV francesa fez revelação importante sobre transferência de Gerson para o Olympique de Marselha - Alexandre Vidal/Flamengo
TV francesa fez revelação importante sobre transferência de Gerson para o Olympique de Marselha Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

13/06/2021 00h04

O Flamengo equilibrou a sua conta de compra e venda de jogadores ao fechar a negociação do meia Gerson para o Olympique de Marseille. Não há mais necessidade nas contas de 2021 para fazer uma nova transferência de atleta. Óbvio, isso não significa que uma operação não possa ocorrer se houver condições vantajosas, mas ela não é imprescindível para fechar o ano.

Essa é a posição de quem acompanha a execução das contas do Flamengo. Para chegar a esta conclusão, foram feitas simulações com as receitas disponíveis e os dados de orçamento do clube. Vamos entender os cálculos.

Primeiro, sob o ponto de vista de previsão para o ano, o clube estimava uma venda de R$ 168 milhões em jogadores. A negociação de Gerson saiu por 25 milhões de euros (R$ 154,7 milhões) - há a possibilidade de mais dinheiro se forem atingidas algumas metas. O Flamengo já tinha obtido outros R$ 55 milhões com vendas no primeiro trimestre. Ou seja, atingiu R$ 200 milhões no ano.

Além disso, outro objetivo da diretoria do Flamengo é equilibrar a conta de longo prazo entre dinheiro a receber e a pagar por transferências de atletas. Ao final do primeiro trimestre, havia uma desequilíbrio já que o clube tinha que desembolsar valores maiores do que ganharia.

No total, o clube tem a quitar um total de R$ 281,9 milhões por aquisição de direitos de jogadores. Desse montante, R$ 137 milhões têm que ser pagos em 2021 e o restante a longo prazo.

Além disso, o Flamengo já tinha direito a receber R$ 71,7 milhões pelas vendas de atletas, tudo neste ano. Com a soma do dinheiro de Gerson, o total chega a R$ 281,6 milhões. Ou seja, empatou os dois montantes.

Falta analisar a questão do caixa do clube, isto é, o dinheiro que efetivamente será recebido neste ano. A venda de Gerson foi parcelada e apenas 5 milhões de euros entram neste ano. Mas o Flamengo não tem problema de obter empréstimo ou antecipações com o futuro recebível já que tem acordos de crédito com seu parceiro BRB com juros mais baixos do que o mercado.

E vai faltar dinheiro por conta da projeção de dinheiro da bilheteria? A previsão atual da diretoria é que o clube deverá fechar bem as contas se houver volta de público pelo menos em outubro, o que é um cenário bem mais plausível do que a previsão inicial de abril. Se não houver púbico em outubro, a avaliação ainda assim é de que empréstimos podem ser obtidos sem a necessidade de venda. O clube fechou o primeiro trimestre com superávit de R$ 4 milhões.

Agora não se descarta uma negociação se houver proposta vantajosa. Um dos jogadores que já esteve na mira do mercado externo é Everton Ribeiro. E, em 2021, pode ser a última chance de o clube arrecadar com uma transferência do atleta.

Rodrigo Mattos