PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

CBF não tem plano de paralisar o Brasileiro pela Copa América

Maracanã recebe Flamengo x Palmeiras neste domingo, pelo Brasileirão - Flamengo
Maracanã recebe Flamengo x Palmeiras neste domingo, pelo Brasileirão Imagem: Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

31/05/2021 17h39

Não está prevista pela CBF nenhuma paralisação do Brasileiro no período de organização da Copa América no país. Houve uma movimentação do Flamengo para pedir a suspensão das partidas durante o período, mas a tendência é que seja rejeitada. A Copa América vai durar de 13 de junho a 10 de julho.

Em 2019, quando o torneio sul-americano foi organizado no Brasil, o futebol local parou para a realização da competição. Ao fazer o calendário da temporada 2020 e depois de 2021, a CBF justificou que a paralisação só ocorreu porque a Copa América era no Brasil e isso não ocorreria no evento na Argentina e Colômbia, sedes originais. Assim, desfalca os times por nove rodadas dos convocados.

Quando a Conmebol pediu para o Brasil receber de novo o torneio, o plano esboçado pela CBF teve como premissa usar estádios que não estejam sendo utilizados por times do Brasileiro da Série A e B. Assim, não atrapalharia o torneio.

Haveria exceção para ter o Maracanã na final, como mostrou o colega Marcel Rizzo. O estádio tem uma situação complicada porque há nove jogos previstos para junho e sete para julho. Ou seja, é complicado abrir espaço para uma decisão que, pelo padrão da Conmebol, exige tempo de descanso do gramado. Não houve contato com a gestão do estádio.

Após a confirmação do Brasil como sede, a CBF informou aliados que não havia previsão de parada do Brasileiro. Entre clubes, fora o Flamengo, não houve manifestação pela paralisação.

A CBF articula uma tabela de sedes em contatos com dirigentes e governadores locais. A ideia é ter estádios com padrão Fifa. Não há nenhuma sede oficialmente confirmada a 13 dias do início do torneio.

Rodrigo Mattos