PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Flamengo acerta patrocínio de R$ 6,5 milhões com a Havan por manga

Manga da camisa do Flamengo vinha sendo ocupado pela FlaTV - Marcelo Cortes/ Flamengo
Manga da camisa do Flamengo vinha sendo ocupado pela FlaTV Imagem: Marcelo Cortes/ Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

10/05/2021 15h39

O Flamengo acordou um patrocínio de R$ 6,5 milhões com a Havan para a manga de sua camisa até o final do ano. Isso significa um valor pouco inferior a R$ 900 mil por mês. O contrato ainda precisa ser aprovado no Conselho Deliberativo do clube, mas já foi anunciado em redes sociais.

A parceria foi vista como positiva pela diretoria rubro-negra porque o valor anualizado do acordo atinge em torno R$ 10 milhões. Além disso, trata-se de uma empresa de varejo que tem faturamento de R$ 10 bilhões.

Não havia veto de parceria com a Havan apesar do patrocínio com o Mercado Livre. O entendimento é que, apesar de a empresa ter entrega online, é especializada na venda em lojas físicas. Por isso, não houve oposição ao Mercado Livre.

Dirigentes rubro-negros também não veem uma questão ou relação política no patrocínio da Havan, cujo dono Luciano Hang é apoiador fiel do presidente Jair Bolsonaro. Entendem que é uma empresa de grande porte e que é positivo que atue no mercado de futebol. Grupos políticos de conselheiros criticaram a parceria pela associação com Bolsonaro. É improvável, no entanto, que isso afete a aprovação do contrato no Conselho. A Havan já patrocina o Vasco, o Athletico e placas em volta do campo.

O Flamengo ainda tem em aberto um espaço em seu calção que está em negociação. Seu total em patrocínios já atingia cerca de R$ 110 milhões antes da Havan. Agora, aproxima-se de R$ 120 milhões em valores pelo uniforme.

Rodrigo Mattos