PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Rescisão com a Globo pesa para Carioca reduzir datas após longa resistência

Pedro (e), do Flamengo, em disputa na final do Campeonato Carioca 2020 - Marcelo Cortes / Flamengo
Pedro (e), do Flamengo, em disputa na final do Campeonato Carioca 2020 Imagem: Marcelo Cortes / Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

01/01/2021 04h00

O Carioca anunciou uma nova fórmula para 2021 que reduz em duas datas sua realização: serão 15 datas. Isso ocorre justamente na federação estadual que mais lutou contra a diminuição das competições regionais. Foi decisiva para esse passo a rescisão do contrato do campeonato com a Globo no meio do ano.

Pela fórmula anterior, o Carioca tinha dois turnos, com semifinais e finais em cada um deles. Depois disso, o campeão era decidido pelos vencedores das duas etapas. Ocupava todas as 17 datas fornecidas pela CBF para os Estaduais.

Com o novo formato, decidido em assembleia de clubes, foi eliminado um dos turnos. O campeonato será disputado em turno único, com todos os 12 clubes se enfrentando em 11 rodadas. A partir daí, há semifinais e finais em dois jogos cada, em um total de 15 datas.

A modificação já vinha sendo pensada por clubes e pela Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro). O formato anterior era considerado desgastado. Havia amarras no contrato com a Globo para a modificação já que a emissora tinha palavra final e preferência por decisões.

No meio do ano passado, em meio à briga do Flamengo com a Globo, a emissora optou pela rescisão do contrato que valia R$ 120 milhões. Com isso, o campeonato teve a necessidade de um novo empacotamento comercial.

O novo formato partiu da Ferj, mas foi discutido com clubes e apresentado ao executivo Marcelo Campos Pinto, responsável pela venda do produto para televisões. Há encaminhada uma negociação para pulverizar os direitos do Carioca por plataformas diferentes sem se concentrar na TV Aberta, que tem disputa entre Globo e SBT.

A pandemia de coronavírus, que deixou os Estaduais espremidos entre dois Brasileiros, contribuiu para mudança de formato que é mais enxuto - isso apesar de a CBF não ter diminuído as datas das competições regionais mesmo com o calendário apertado após o Brasileiro invadir 2021. Para o Flamengo, o ideal é que se permaneça com menos datas para os anos seguintes. A Ferj ainda não fechou questão sobre isso.

A fórmula repete a utilizada no Campeonato Mineiro que foi o primeiro campeonato Estadual entre os quatro maiores a reduzir para 15 datas.

Rodrigo Mattos