PUBLICIDADE
Topo

Renato Maurício Prado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Copa do Mundo" do São Paulo pode arruinar a temporada tricolor

Pablo comemora gol pelo São Paulo, contra a Inter de Limeira, no Paulistão - Divulgação/São Paulo
Pablo comemora gol pelo São Paulo, contra a Inter de Limeira, no Paulistão Imagem: Divulgação/São Paulo
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

04/03/2021 04h00Atualizada em 05/03/2021 21h59

Que tirada infeliz a do novo diretor de futebol do São Paulo, Carlos Belmonte, ao dizer que o Paulistinha deste ano é uma Copa do Mundo para o seu clube, sedento por títulos, após um incômodo jejum nos últimos oito anos! Tal arroubo, pelo que se tem visto, pode levar seus titulares a um desgaste absurdo e desnecessário, no início de uma temporada tão difícil como será a de 2021, pior até do que a de 2020.

Por conta do desejo expresso pelo cartola do Morumbi, o novo técnico, o argentino Hernán Crespo, começou o trabalho já escalando força máxima nas duas primeiras rodadas do estadual (empate com o Botafogo e vitória, por goleada, sobre a frágil Inter de Limeira). E, ao que tudo indica, seguirá mandando a campo a melhor formação possível, embora isso esteja longe de ser o mais indicado, no momento.

Não custa lembrar, o São Paulo chegou a liderar o Brasileiro 2020, com sete pontos de diferença para o segundo colocado, mas, simplesmente, "derreteu" na reta final. "Virou o fio", como se costuma dizer na gíria esportiva, quando um atleta ou um time inteiro passa do ponto ideal de preparação física e técnica e começa a cair acentuadamente de rendimento.

Há toda uma biblioteca esportiva que trata do assunto e é baseada nela que os bons treinadores dão especial cuidado ao planejamento das metas de suas equipes, com pré-temporadas, períodos de "polimento" e etc, a fim de chegar ao ápice da forma nos momentos mais importantes do ano. Tendo pela frente uma Libertadores, um Brasileiro e uma Copa do Brasil, como o São Paulo pode achar que "sua Copa do Mundo" é o Paulistinha? Não faz o menor sentido.

Bem treinado e preparado, esse elenco tem condições de brigar por algo muito maior. Mas se emendar uma temporada na outra, esfalfando jogadores que já se mostravam exaustos, nas últimas rodadas do Brasileiro, vide a derrocada na hora H (com direito até à derrota para o lanterna Botafogo!), são grandes as possibilidades de passar mais um ano sem ganhar bulhufas. Nem a "Copa do Mundo" do Estadual, sonhada por Belmonte. O que, aliás, pode ser motivo de gozação das torcidas adversárias, pela importância sem sentido que o dirigente deu ao torneio.

Flamengo, Fluminense, Internacional, Atlético Mineiro, Santos, Palmeiras, Grêmio, Athletico Paranaense e tantos outros, começaram os estaduais com reservas e jogadores jovens, dando descanso e planejando mini pré-temporadas com seus elencos principais. Estarão todos eles errados e somente o São Paulo certo?

Errata: o texto foi atualizado
Quem comparou o Campeonato Paulista com uma Copa do Mundo foi o diretor de futebol do São Paulo, Carlos Belmonte, não o presidente do clube, Julio Casares. A frase foi dita no programa Bola da Vez, da ESPN. O erro foi corrigido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Renato Maurício Prado