PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Futebol já movimentou R$ 895 mi em janeiro; veja os 10 reforços mais caros

Uma das maiores promessa da Europa, Szoboszlai foi para o RB Leipzig - Divulgação
Uma das maiores promessa da Europa, Szoboszlai foi para o RB Leipzig Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

07/01/2021 04h20

A janela de transferências de inverno dos campeonatos mais importantes da Europa já está aberta. Mas nem parece...

Nos primeiros seis dias do ano, o mercado mundial de compra e empréstimos de jogadores movimentou somente 137,1 milhões de euros (R$ 895 milhões), valor menor que apenas uma transferências de atletas do porte de Neymar e Kylian Mbappé.

Só que nenhum nome desse primeiro escalão foi negociado neste comecinho de 2021. E nem deve ser, já que tradicionalmente a janela de janeiro serve apenas para ajustes de elencos e contratações desesperadas de clubes que andam despencando pelas tabelas.

O reforço mais caro do planeta neste início de ano nem é um jogador consolidado, mas, sim, uma aposta para o futuro. Trata-se do meia-atacante marfinense Amad Diallo, de apenas 18 anos, que trocou a Atalanta pelo Manchester United em um negócio de 21 milhões de euros (R$ 137 milhões).

O segundo colocado no ranking desta janela não é muito diferente. Apesar de já ser protagonista na seleção húngara, o meia-atacante Dominik Szoboszlai é só um menino de 20 anos que ainda atuava em uma liga periférica da Europa.

A venda do candidato a craque, que trocou o Red Bull Salzburg pelo Leipzig, time matriz da empresa de energéticos, custou 20 milhões de euros (130,6 milhões).

No top 10 dos maiores negócios de 2021, até o momento, há apenas um brasileiro. Inicialmente emprestado pelo Flamengo, o centroavante Pedro, um dos destaques da temporada no país, teve os direitos econômicos adquiridos pela equipe carioca, que pagou 14 milhões de euros (R$ 91,4 milhões) à Fiorentina.

Um outro detalhe que mostra como a atual janela está andando a passos de tartaruga é a presença de três contratações realizadas por clubes do México, um mercado que não está entre os mais ricos do planeta, entre as dez maiores.

Nenhuma dessas transações movimentou mais de 5 milhões de euros (R$ 32,6 milhões). Mesmo assim, elas já são suficientes para conseguir um espaçozinho no ranking dos grandes negócios do ano.

Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França, as cinco principais ligas nacionais do Velho Continente, permitirão a contratação de novos jogadores para a segunda metade da temporada até o dia 1º de fevereiro.

No Brasil, onde, devido aos impactos da pandemia da Covid-19, a temporada 2020 invadiu os primeiros meses de 2021, a janela de começo de ano foi adiada em dois meses. Os clubes do futebol nacional poderão trazer reforços do exterior entre 1º de março e 23 de maio.

No ano passado, o Mercado da Bola global movimentou mais de 1,4 bilhões de euros (R$ 9 bilhões, na cotação atual) em janeiro. Desta vez, a expectativa é que o valor acumulado por todas as transações realizadas no primeiro mês do ano não chegue nem perto dessa marca.

Os 10 reforços mais caros da janela de janeiro

1 - Amad Diallo (CMA, Manchester United) - 21 milhões de euros
2 - Dominik Szoboszlai (HUN, RB Leipzig) - 20 milhões de euros
3 - Pedro (BRA, Flamengo) - 14 milhões de euros
4 - Joakim Maehle (DIN, Atalanta) - 11 milhões de euros
5 - Filip Stevanovic (SER, Manchester City) - 8,5 milhões de euros
6 - Brenden Aaronson (EUA, Red Bull Salzburg) - 5,1 milhões de euros
7 - Carlos González (PAR, Tigres) - 4,5 milhões de euros
Víctor Dávila (MEX, León) - 4,5 milhões de euros
9 - Bas Dost (HOL, Brugge) - 4 milhões de euros
Claudio Baeza (CHI, Toluca) - 4 milhões de euros
TOTAL DA JANELA: 137,1 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt