PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Perrone: Torcedor do Santos tem mais motivos para se preocupar que do SPFC

Fábio Carille concedeu coletiva virtual após o empate do Santos na visita ao São Paulo no Morumbi - Reprodução/Santos TV
Fábio Carille concedeu coletiva virtual após o empate do Santos na visita ao São Paulo no Morumbi Imagem: Reprodução/Santos TV
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

08/10/2021 08h17

O empate em um gol entre São Paulo e Santos nesta quinta (7), indica que o torcedor santista tem mais motivos para se preocupar do que o tricolor.

O resultado foi ruim para as duas equipes no Brasileirão. O São Paulo é o 14° colocado. O Santos está em 16° lugar.

Porém, a equipe da casa deu sinais de que pode reagir, enquanto os visitantes voltaram a apresentar uma angustiante fragilidade.

Com um gol no início, o Santos deu esperança ao seu torcedor. Uma forte marcação sufocava o São Paulo e tornava o contra-ataque uma arma perigosa do clube da Vila Belmiro. O conhecido estilo Carille de jogar surtia efeito. Mas foi por pouco tempo.

O Tricolor, aos poucos, encontrou espaço para jogar, até que o VAR viu um pênalti de Vinícius Balieiro. Calleri converteu em gol, aos 35 minutos do primeiro tempo, e seu time dominou a partida.

O São Paulo teve 60% de posse de bola e fez 14 finalizações contra seis do rival, segundo o Sofascore.

A equipe de Hernán Crespo ainda demonstra dificuldade na armação. Mesmo assim, conseguiu criar jogadas interessantes, principalmente com Rigoni e Calleri. Existe um caminho claro para o São Paulo evoluir, o que não foi possível enxergar no Santos.

Marinho nem de longe lembra o atacante fatal que foi no ano passado. Parecia um fantasma arrastando correntes na maior parte do tempo.

Carille demonstrou falta de conhecimento do elenco para tirar mais do pouco que tem em mãos. Parece preso à sua fórmula de sucesso no Corinthians (marcar bem e contra-atacar), mas não consegue executá-la de maneira eficiente.

Impossível enxergar no Santos um trabalho promissor. Carille ainda patina.

Tudo bem que o treinador está em início de trabalho no clube. Mas, quem aceita esse desafio precisa mostrar rápida capacidade de adaptação e desprendimento para aproveitar algo do trabalho anterior.

Não é o que acontece. O técnico parece querer começar do zero e não sai do lugar. Situação perigosa para um clube que luta para manter o status de nunca ter sido rebaixado no Campeonato Brasileiro e tem só dois pontos de vantagem sobre o Grêmio, primeiro da zona da degola, mas com um jogo a menos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Blog do Perrone