PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

MP denuncia suspeito de matar gamer e pede exame de insanidade mental

Ingrid "Sol" Bueno era jogadora de Call of Duty e foi assassinada em São Paulo - Reprodução
Ingrid "Sol" Bueno era jogadora de Call of Duty e foi assassinada em São Paulo Imagem: Reprodução
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

25/02/2021 16h11

O Ministério Público de São Paulo ofereceu nesta quinta (25) denúncia contra Guilherme Alves Costa, suspeito de matar a facadas e com golpes de espada a gamer Ingrid Oliveira Bueno da Silva, de 19 anos, conhecida como Sol, no último dia 22.

O promotor Fernando Cesar Bolque também solicitou que o suspeito passe por exame de insanidade mental.

Ele justifica esse pedido citando "as circunstâncias em que o crime foi cometido, a frieza do denunciado ao gravar o vídeo (sobre o assassinato), rindo pela bárbara morte da vítima e também pelo material (livro) que supostamente teria feito, sugerindo certo desvio de comportamento (ainda incerto quanto à natureza e grau)".

Costa foi denunciado como incurso nas penas do artigo 121 do código penal (matar alguém), no caso por motivo torpe e meio cruel. A pena prevista é de 12 a 30 anos de reclusão.

O suspeito enviou vídeos e um livro para blogueiros e membros do mundo de eSports antes e depois do crime. Segundo o homem de 18 anos, o livro explicaria a motivação do crime.

"Embora tenha se mantido em silêncio quando de seu interrogatório policial, o próprio denunciado gravou um vídeo na cena do crime afirmando 'olha só que maravilha?', rindo na sequência e arrematando 'é... já era... partiu', relata o promotor na denúncia. Ele também aponta que o crime foi cometido com uma faca e uma espada.

Segundo o membro do Ministério Público, Costa disse a seu irmão "que teria cometido o delito porque a vítima "teria atravessado seu caminho".

A denúncia aponta ainda que a crueldade do crime pode ser constatada pelas inúmeras e profundas lesões sofridas pela vítima e por uma tentativa de degola. A Justiça dirá se aceita a denúncia.

Blog do Perrone