PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

VP leva Corinthians à vaga heroica com retranca sem ser retranqueiro

Jogadores do Corinthians comemoram classificação para as quartas de final da Libertadores após vitória sobre o Boca Juniors - Agustin Marcarian/Reuters
Jogadores do Corinthians comemoram classificação para as quartas de final da Libertadores após vitória sobre o Boca Juniors Imagem: Agustin Marcarian/Reuters
só para assinantes

Mauro Cezar

06/07/2022 02h03

Linha de cinco na defesa. Espaços negados na maior parte do tempo para as jogadas pelos flancos, com Villa pela esquerda de Zeballos na direita.

Quatro homens no meio-campo com Roger Guedes isolado à frente. O Corinthians passou quase que os 90 minutos na Bombonera assim, trancado.

Não esse texto não é uma Ode à retranca, mas o reconhecimento ao esforço e à estratégia do time de Vítor Pereira. Era a única saída possível, viável.

E deu certo. Há uma diferença entre jogar desfalcado e atuar desfigurado, descaracterizado, mutilado. Os corintianos estavam assim, e piorou.

Teve jogador se machucando durante a peleja e saindo, substituído. Teve garoto entrando em jogo do qual não participaria em condições normais.

E o Boca, independentemente de não ser um time brilhante, estava inteiro. Atuou com apoio total de sua torcida, descansado, sem um desfalque sequer.

O feito desses jogadores no contexto do duelo da Bombonera foi imenso. Vítor Pereira não é retranqueiro, mas sem outra opção soube montar seu ferrolho.

Vitória nos pênaltis e classificação para encher o torcedor de orgulho. Daquelas de ir ao aeroporto recepcionar os jogadores.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube