PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Na estreia de Renato, Flamengo tem grande resultado com desempenho sofrível

Michael vibra após marcar seu gol - Staff Images/Conmebol
Michael vibra após marcar seu gol Imagem: Staff Images/Conmebol
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

14/07/2021 23h25

O Flamengo que costumava pressionar no campo do adversário, em casa ou fora, buscando a rápida recuperação da bola para iniciar novo ataque não entrou em campo, algo perceptível já no primeiro tempo. Mesmo assim, o campeão brasileiro conseguiu uma inesperada vantagem no placar, após alguns sustos. E, incrivelmente, a sustentou.

O time carioca foi premiado com um gol que caiu do céu, na bola chutada por Michael, que desviou em Frías, subiu e despencou dentro do gol defendido por Unsain. Uma vantagem que de maneira alguma ofuscou a atuação ruim da equipe carioca nos primeiros 45 minutos sob o comando de Renato Gaúcho.

O camisa 19 arrisca uma finalização a cada 28 minutos em campo na temporada, segundo o SofaScore. Com sorte, ou nem tanto, um dia acertaria. Aconteceu. Quem vê os jogos sabe que ele frequentemente arrisca esse tipo de arremate. Não vale 7,5 milhões de euros, mas luta, se esforça e tem coragem. Foi premiado.

A saída de bola ruim observada na primeira etapa continuou sendo notada no segundo tempo. O Flamengo marcava, ainda, em seu campo, deixando Arrascaeta e Gabigol fora do jogo, de tão pouco acionados. Então Diego Alves apareceu com grandes defesas, enquanto, à sua frente, estava um time irreconhecível.

Se for assim, essa a estratégia de Renato, valeria a pena ele conversar bem com os mais experientes do elenco. Eles, certamente, terão sugestões táticas e estratégicas mais interessantes e compatíveis com as características do elenco. Pois foi um grande resultado com desempenho sofrível.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL