PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

Cruzeiro estreia na Série B e presidente planeja time competitivo em 2021

O presidente Sérgio Santos Rodrigues - Igor Sales/Cruzeiro
O presidente Sérgio Santos Rodrigues Imagem: Igor Sales/Cruzeiro
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

08/08/2020 11h24Atualizada em 08/08/2020 11h28

Sérgio Santos Rodrigues assumiu a presidência do Cruzeiro em 1º de junho deste ano com o clube no pior momento de sua história, rebaixado, endividado, com problemas que extrapolam os poderes da agremiação. Seu mandato terá apenas sete meses, termina em 31 dezembro. Antes, em outubro, nova eleição elegerá o mandatário para o triênio 2021/2023.

Wagner Pires de Sá, seu antecessor, renunciou em dezembro do ano passado. Sua gestão motivou o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) a investigar ex-dirigentes por falsificação de documentos/falsidade ideológica, apropriação indébita, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Com seis pontos negativos, na última posição devido à pena dada pela Fifa pelo não pagamento de dívida com o Al Wahda, dos Emirados Árabes pela contratação do volante Denílson; o time estreia na Série B neste sábado, às 19 horas, contra o Botafogo de Ribeirão Preto (SP), no Mineirão. O blog conversou com o atual presidente celeste.

Como o senhor resume a atual situação administrativo/financeira do Cruzeiro?
Momento atual é delicado. Como todo mundo sabe, pegamos o clube com muitas dívidas de curto prazo, inclusive na Fifa, além de salários atrasados. Estamos buscando novas fontes de receita que têm possibilitado manter os pagamentos em dia, mas será necessário vender atletas para cumprir nossos compromissos.

Que tipos de atletas prioritariamente, jovens?
Todos os que tiverem proposta. A procura maior no mercado é por jovens, mas tendo proposta financeira, de empréstimo ou venda, com valor de mercado compatível, vamos negociar.

O que já foi feito em sua gestão?
Pagamos R$ 32 milhões entre dívidas com a Fifa e salários atrasados. Pagamos a dívida com o pagamos a divida que havia com o Zorya (da Ucrânia, pelo atacante William, cerca de 600 mil euros, aproximadamente R$ 3,5 milhões), entramos em acordo com o Tigres (do México, por Rafael Sóbis, contratado em 2016, R$ 17,2 milhões), parcelamos com o Independiente Del Valle pela ação do atleta Kunty .Caicedo e a dívida com o Spartak Moscou pelo Pedro Rocha foi paga em sua totalidade na última quinta-feira

Como estão as situações com Monarcas Morelia, do México, pela compra de Riascos; Defensor, do Uruguai, por Arrascaeta; salários do técnico Paulo Bento e auxiliares; Dodô, Sampdoria, da Itália; e Rodriguinho, Pyramids, do Egito?

As questões envolvendo as ações referentes aos atletas Riascos, De Arrascaeta, Rodriguinho e a comissão técnica do Paulo Bento estão sendo monitoradas pelos nossos departamentos jurídico e financeiro, mas nenhuma delas ainda possui ordem de pagamento por parte da Fifa. Já em relação ao Dodô, o processo tramita na Justiça do Trabalho de Minas Gerais. O atleta quer fazer valer o que chamamos de estipulação em valor de terceiro, exigindo a assinatura de um novo contrato, baseado em cláusulas absurdas feitas pela antiga diretoria. O Cruzeiro, por outro lado, entende que não tem essa obrigatoriedade e não quer renovar este contrato por avaliar que ele é lesivo ao Clube. Nessa semana, foi realizada uma audiência na qual não houve acordo entre as partes. A sentença da juíza que cuida do caso tem prazo para ser publicada até o início de setembro.

O que mudou na estrutura?
A grande pegada foi entender o Cruzeiro mais como uma grande administração, mantivemos o que era qualificado e trouxemos gente de mercado para redesenhar o Cruzeiro. Contratamos uma empresa, montamos um organograma e trouxemos gente de diversas empresas, que se não estivesse aqui estariam em outro lugar. E clubes têm o problema de pessoas sem capacidade ocupando cargos por questões políticas, estamos profissionalizando a gestão. Tinha o cunhado do Itair que ganhava quase R$ 30 mil, o filho do presidente Wagner quase R$ 20 mil.

Ninguém contestava essas contratações?
Eu, como conselheiro, sempre contestei, mas todo mundo sabe pelo que o Cruzeiro passou, por um círculo vicioso de compra de votos, de tentar calar o Conselho Fiscal e estamos torcendo para que saiam os relatórios da polícia e do MP para que sejam punidos criminalmente. Já pedi a retirada do nome do presidente Wagner e Sergio Nonato (ex-diretor geral) do quadro do conselho e eliminar todas as menções do nome dele, ou seja, apagar qualquer referência a eles no clube, além de expulsar o Itair do quadro de sócios.

Quais os próximos passos?
Obter credibilidade. Conseguimos quatro novos patrocinadores mesmo na pandemia, temos uma pegada de inovação digital muito forte, mas temos que subir em campo e dentro da realidade do Cruzeiro estamos fazendo um time forte. Entramos com essa obrigação e trabalhando bastante porque a Série B é um torneio difícil, subir é o grande objetivo da temporada.

Como estão os salários dos atletas e funcionários? Em dia? Atrasados?
Todos em dia, folha administrativa, que pegamos atrasada, pagamos nessa semana, e os atletas pagamos 50% quinta-feira e 50% sexta. Imagem falta alguma coisa, mas estará tudo ok nos próximos dias. A folha administrativa, desde junho, quando estava atrasada, vem sendo paga fielmente antes do quinto dia útil pela nova gestão, que assumiu o clube oficialmente dia 1º de junho de 2020). Os 50% restantes dos atletas na folha deste mês serão pagos na segunda-feira, 10 de agosto. A ordem de pagamento foi feita na sexta-feira, mas por um pequeno problema burocrático não caiu na conta ainda.

Qual a expectativa do clube quanto a faturamento neste ano?
Difícil dar esse número exato. Fizemos uma projeção, mas lançamos um produto Premium, sócio diamante de R$ 1 mil mensais e fizemos 300 associados em um mês. Estamos fazendo ingressos virtuais, plataforma de doação, embora não fosse o desejo do clube. Já arrecadamos quase R$ 1 milhão, fizemos o cadastro do cartão para doar os centavos para cima e já temos 5 mil cadastrados em cerca de duas semanas. A torcida do cruzeiro tem dado o retorno, temos desenvolvido muitas ações que estão permitindo que tenhamos esse respiro. Fizemos a live de um treino e tivemos bom resultado.

Na ação referente ao caso do Fred, no qual o clube teria que pagar multa ao Atlético porque o jogador mudou de clube para o rival, o documento da defesa do Cruzeiro frisa que o clube foi administrado por uma organização criminosa...
Na verdade eu não usei essas palavras diretamente, o Ministério Público que tuitou dizendo que havia indícios de lavagem de dinheiro, etc. Ou seja, achamos que há vários delitos, mas essa afirmação somente posso fazer quando o MP concluir seu trabalho. Nunca vi coisas tão absurdas, como esse contrato do Fred e os de jogadores com três aumentos no mesmo ano, atletas com três agentes ganhando comissão por ele, pagamento a empresário que não era empresário...

Mas essa gestão citada participou de competições esportivas. E ganhou títulos nacionais. Como o senhor se sentiria se fosse um outro clube ganhando assim?
O Thiago Scuro (ex-dirigente do Cruzeiro, atualmente no Red Bull) costuma dizer que é o errado que está dando certo. No período em que a gestão passada esteve aqui mandei vários e-mails questionando, e sabemos que o povo se deixa levar. Acredito que a torcida aprendeu isso também, percebemos que a ela hoje menos se preocupa com títulos, quer um Cruzeiro forte e estruturado extra campo, o torcedor aprendeu que deve dar valor a uma grande gestão e não necessariamente levantar títulos.

Quanto tempo será necessário para uma recuperação plena?
Voltar à primeira divisão agora, mas time competitivo poderemos ter no ano que vem. Precisamos dissociar a ideia de que um time para ser competitivo tem que ser caro. O Grêmio ganhou a Libertadores com uma folha de R$ 5 milhões, mesclando experientes com a base. Hoje temos cinco jogadores titulares com cerca de 20 anos. Copa do Brasil é um torneio no qual temos tradição e qualquer um pode ganhar, não menosprezando o time, mas Paulista de Jundiaí foi campeão eliminando o Cruzeiro, inclusive. Teve o Santo André e outros. No Campeonato Brasileiro concordo, deve demorar um pouco mais, pois é uma competição de regularidade, exige mais elenco. Considero que o time atual tem potencial competitivo para alcançar o objetivo, voltar para a Série A, e confio muito no trabalho do Enderson (Moreira, novo treinador).

O senhor é advogado do ex-presidente Zezé Perella, ele participa de sua gestão de alguma maneira?
Fico feliz por você me perguntar. Sou advogado do Zezé, mas uma coisa não tem a ver com a outra. Também sou advogado da MRV (empresa de Rubens Menin, patrocinador e parceiro do Atlético) e também fui do BMG (de Ricardo Guimarães, ex-presidente do rival e ainda apoiador do Galo). Minha vida profissional não tem a ver com a do Cruzeiro. No clube cheguei convidado pelo Zezé em 2009, mas minha trajetória no clube não depende dele, tenho minha vida profissional e minha vida no Cruzeiro, e ele não participa da gestão. Me liga como qualquer outro ex-presidente, mas não participa direta nem indiretamente do nosso dia a dia aqui. Temos amizade de longa data, o Zezé me apoiou nas duas eleições em que concorri, em 2017 e 2020.

follow us on Twitter follow me on youtube follow me on facebook follow us on instagram follow me on google plus

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL