PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rei dos clássicos: Vasco perdeu apenas um dos últimos 14 disputados

Técnico Jorginho é só alegria nesta temporada no comando do Vasco - Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco
Técnico Jorginho é só alegria nesta temporada no comando do Vasco Imagem: Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/03/2016 06h00

No quesito gozação, os vascaínos estão sobrando em relação aos rivais. Invicto no Campeonato Carioca e líder isolado da Taça Guanabara, o Cruzmaltino perdeu apenas um clássico dos últimos 14 disputados. Foram nove vitórias, quatro empates e um revés diante do Fluminense, no Brasileiro do ano passado.

Neste período, alguns resultados foram marcantes, como as duas vitórias sobre o Botafogo na final do Estadual do ano passado e a classificação diante do Flamengo na Copa do Brasil, também em 2015.

Este ano, já foram três clássicos disputados: vitórias sobre o Rubro-Negro e o Alvinegro, além de um empate com os botafoguenses na primeira fase.

“A invencibilidade não me fascina. O que me fascina é ser líder. A qualquer momento a gente pode perder a invencibilidade. A gente vem jogando bem, se organizando. O mais importante é permanecer em primeiro e na situação que estamos agora”, declarou o técnico Jorginho.

O treinador aponta a união do grupo como um dos segredos para o sucesso da equipe até aqui na temporada.

“Claro que tem explicação. Quando se tem tempo para trabalhar, se acaba obtendo bons resultados. Todas as oportunidades que eu tive como treinador para desenvolver um trabalho, tive bons resultados. Isso é fundamental e os jogadores entenderam. Falei com eles antes do jogo, na preleção, que o Vasco ressurgiu de um momento totalmente crítico. Ninguém acreditava nisso e eles trouxeram isso. Compraram isso. A outra razão é porque o ambiente entre eles é de cobrança. Às vezes acontece briga, mas num bom sentido. No sentido de cobrança. Eles estão sendo amigos, sofrendo juntos”, disse.

Na próxima quarta-feira, o Vasco tem outro clássico pela frente. Desta vez contra o Flamengo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. 

Futebol