PUBLICIDADE
Topo

Futebol Americano

Quatro anos após protestos, Colin Kaepernick segue sem vaga na NFL

Colin Kaepernick (dir) e Eli Harold ajoelham na hora da execução do hino dos EUA no jogo entre San Francisco 49ers e Chicago Bears na NFL em 2018 - Michael Zagaris/San Francisco 49ers/Getty Images
Colin Kaepernick (dir) e Eli Harold ajoelham na hora da execução do hino dos EUA no jogo entre San Francisco 49ers e Chicago Bears na NFL em 2018 Imagem: Michael Zagaris/San Francisco 49ers/Getty Images

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/12/2020 04h00

Colin Kaepernick segue longe de realizar o objetivo de voltar a defender uma franquia da NFL, a liga de futebol americano. O último jogo oficial do quarterback aconteceu em janeiro de 2017, na derrota do San Francisco 49ers para o Seattle Seahawks. Desde então, o atleta de 33 anos aguarda uma chance para voltar a ter contrato com alguma franquia.

Kaepernick não joga desde o final da temporada em que liderou protestos na NFL contra a violência policial contra os negros, quando iniciou uma onda de protestos ao ajoelhar durante a execução do hino norte-americano antes da partida do San Francisco 49ers contra o Green Bay Packers.

Já são quatro anos longe da liga. Neste período, ele se tornou um dos principais rostos da luta por igualdade racial nos Estados Unidos, passou a ter apoio de grandes marcas, como a Nike, e de diversos atletas da NFL e de outras ligas, e ganhou até uma linha exclusiva de sorvetes da marca Ben & Jerry?s.

Em 2020, na onda do movimento ?Black Lives Matter?, a NFL, processada por Kaepernick, pediu desculpas e afirmou que deveria ter agido de forma diferente no protesto liderado pelo atleta. Apesar do discurso, nada mudou na prática. Nenhum time convidou Kaerpernick para realizar treinos e sessões oficiais na atual temporada.

Kaepernick - Elijah Nouvelage - Elijah Nouvelage
Colin Kaepernick mantém a forma para voltar à NFL
Imagem: Elijah Nouvelage

E não faltaram oportunidades, já que muitas equipes viram seus titulares perderem jogos por lesões. Reservas com pouca, ou nenhuma, experiência ganharam chance de atuar e nenhuma franquia cogitou dar uma oportunidade ao veterano. Kaepernick poderia ser uma opção mais confiável para times como Cincinnati Bengals, New York Giants, Dallas Cowboys, Jacksonville Jaguars e San Francisco 49ers. Todos ficaram sem os titulares em algum momento da temporada e apostaram em jogadores que não têm a experiência e o talento de quarterback.

Mas uma notícia pode mudar o rumo da carreira do atleta. Enquanto treina todos os dias para manter a forma e estar pronto para uma oportunidade, Kaepernick pode ver o ex-técnico Jim Harbaugh retornar à NFL e quem sabe reabrir as portas da liga. O portal especializado ProFootballTalk, da NBC Sports, publicou uma matéria relatando que algumas equipes estão de olho em Harbaugh, técnico da Universidade de Michigan desde 2015 e treinador dos 49ers entre 2011 e 2014, sendo que em todos esses anos ele comandou Kaepernick.

Os dois levaram a franquia ao Super Bowl 47, mas acabaram derrotados pelo Baltimore Ravens por 34 a 31. Em julho de 2020, o treinador falou sobre o que pensava da situação do ex-comandado.

?Minha opinião pessoal, um conselho para as equipes da NFL, é que só há uma maneira de responder a essas perguntas, uma maneira de descobrir, e é Colin assinar com algum time. Meu conselho é que ele valerá a pena e que o time da NFL ficará muito feliz. Colin Kaepernick é um amigo, um irmão e um grande companheiro de equipe. Eu amo o Colin. Acho que ele é um jogador de futebol incrivelmente talentoso?, disse Harbaugh na ESPN.

Em novembro do ano passado, a NFL organizou uma sessão de treinos para o quarterback, que não concordou com a forma que o processo foi conduzido e realizou uma sessão própria de atividades. Algumas equipes acompanharam o evento, mas nenhuma conversa avançou.

Futebol Americano