PUBLICIDADE
Topo

Redskins: Patrocinadores pedem que time mude nome por conotação racista

Washington Redskins se envolve em nova polêmica envolvendo histórico racista - Doug Pensinger/Getty Images
Washington Redskins se envolve em nova polêmica envolvendo histórico racista Imagem: Doug Pensinger/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

03/07/2020 12h03

O Washington Redskins, time da NFL (Liga Nacional de Futebol dos Estados Unidos), é pressionado por patrocinadores a mudar de nome por uma possível conotação racista contra indígenas americanos.

A empresa de entregas FedEx, principal patrocinadora, exigiu a mudança de nome após o presidente do NCAI (Congresso Nacional de Indígenas Americanos, em inglês), Fawn Sharp, criticar oficialmente o clube, de acordo com o jornal espanhol Marca. Pepsico e Nike também estariam pressionando o time.

"Está na hora dos jogadores rasgarem esse nome como a estátua de um general confederado em seu vestiário", disse Sharp.

A frase dita por ele faz referência à remoção da estátua do antigo dono, George Preston Marshall, do Estádio RFK. O ex-empresário cometeu atos de racismo ao longo do período de participação na NFL.

Os indígenas americanos sofreram massacres durante a colonização do país. "Redskins" (pele vermelha, em tradução literal) é um termo pejorativo para se referir a esses povos. Além do nome, o time também carrega a imagem de um nativo como mascote, o que também já foi condenado há alguns anos.

Após a onda de protestos gerados pela morte do segurança George Floyd, em maio, nos Estados Unidos, diversos erros históricos começaram a ser questionados em todo o mundo. Nomes e estátuas que possam homenagear personagens considerados responsáveis por massacres estão sendo questionados desde então.

Futebol Americano