PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Podcast SeV S04E012 - streaming x cabo e quando o tênis perde visibilidade

Reprodução
Imagem: Reprodução
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

01/05/2022 16h22

O podcast Saque e Voleio, exclusivo para apoiadores do blog, chega hoje com uma análise atual do cenário dos direitos de TV dos torneios de tênis no Brasil. Com a notícia - publicada antecipadamente para os apoiadores - de que o grupo Disney exibirá Roland Garros e Wimbledon no Brasil este ano (em lugar do Bandsports, que perde os dois eventos), o momento é propício para analisar quem ganha e perde com isso, e não falo apenas dos canais de TV, mas de espectadores e da própria modalidade.

Na primeira parte do podcast, falo do momento de transição que o consumidor vive, com a TV a cabo perdendo força e lugar para os serviços de streaming. Cito algumas das consequências disso para o tênis e dou minha opinião sobre visibilidade. Quem ganha e quem perde?

Em seguida, falo mais especificamente sobre o Star+, serviço de streaming da Disney. Explico por que o grupo americano investiu tanto dinheiro no tênis (assim como em outros esportes) e digo como essas modalidades são estratégicas para impulsionar o número de assinantes do serviço. Também falo sobre essa relação e a opção do grupo por mostrar alguns torneios apenas no Star+, deixando esses eventos fora da grade da ESPN na TV a cabo. Também digo como o Star+ tem falhas e onde precisa melhorar para deixar para trás de vez a concorrência da TV a cabo.

Depois, explico a diferença entre monopólio (que não existe) e exclusividade (que existe muito) no tênis e por que faz todo sentido do mundo que um canal exija ser o único a mostrar um evento - e isso vale para todas modalidades.

Por fim, falo do momento do SporTV na TV a cabo e como o canal está em um momento delicado, perdendo direitos e encontrando uma concorrência (até interna, do próprio grupo Globo) cada vez mais forte do serviços de streaming. Indago o que o canal vai fazer em um futuro breve para se manter relevante no meio tem um grande diferencial como o Star+.

Bônus: comentários sobre a entrevista que fiz sexta-feira com um americano ex-número 1 do mundo.

Quem já apoia o Saque e Voleio pode acessar o link para o episódio lá no Mural do Apoia.se.

Quem quiser pode aproveitar a ocasião para começar a apoiar o blog (com R$ 15 mensais, você tem direito a conteúdo exclusivo, newsletter semanal e grupo de bate-papo via Telegram, além de brindes e promoções). Basta visitar o Apoia.se, conhecer melhor o programa de financiamento coletivo recorrente do Saque e Voleio e fazer sua contribuição.