PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

AO, dia 8: Tsitsipas sobrevive, Sabalenka se despede, e Cornet comove

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

24/01/2022 12h01

As quartas de final do Australian Open estão definidas com grandes zebras dos dois lados da chave. Se o número 3 da ATP, Alexander Zverev, se despediu no domingo, nesta segunda-feira, oitavo dia de jogos em Melbourne, foi a vez de Aryna Sabalenka, número 2 do mundo na WTA, dar adeus.

Quem escapou por pouco da eliminação foi o grego Stefanos Tsitsipas, levado ao quinto set pelo americano Taylor Fritz. Entre as mulheres, o jogo mais "quente" - literalmente - do dia foi entre Simona Halep e Alizé Cornet, que duelaram por mais de 2h30min sob um sol de mais de 30 graus. A partida terminou com a vitória da francesa que, pouco depois do match point, protagonizou o momento mais emocionante do torneio até agora. É hora de repassar o que e como tudo isso aconteceu, então role a página e fique por dentro.

Favoritos que avançaram

Na chave feminina, a única favorita-favorita de verdade (pleonasmo intencional) a vencer nesta segunda-feira foi a polonesa Iga Swiatek, número 9 do mundo. Mesmo assim, a campeã de Roland Garros em 2020 passou aperto contra a romena Sorana Cirstea (#38) e precisou de três sets: 5/7, 6/3 e 6/3. Nas quartas do Australian Open pela primeira vez, a jovem de 20 anos vai enfrentar a estoniana Kaia Kanepi (#115), que também fará sua estreia nas quartas em Melbourne. Aos 36 anos, Kanepi já havia alcançado as quartas nos outros três slams. Faltava o torneio australiano para completar uma espécie de "grand slam das quartas" pessoal (mais sobre a vitória de Kanepi logo abaixo).

Entre os homens, a segunda-feira foi bem diferente: todos favoritos - pelo menos no papel - confirmaram e avançaram às quartas. Quem teve menos trabalho foi o italiano Jannik Sinner (#10), que passou pelo australiano Alex De Minaur (#42) em três sets: 7/6(3), 6/3 e 6/4. Todos os outros precisaram de pelo menos quatro sets. Daniil Medvedev (#2) não chegou a estar atrás no placar, mas salvou um delicado set point com uma passada espetacular (veja acima) na segunda parcial e acabou perdendo o terceiro set. No fim, porém, despachou o americano Maxime Cressy (#70) por 6/2, 7/6(4), 6/7(4) e 7/5. Félix Auger-Aliassime (#9), por sua vez, saiu atrás e bateu Marin Cilic (#27) por 2/6, 7/6(7), 6/2 e 7/6(4).

O susto - mesmo - ficou por conta de Stefanos Tsitsipas (#4), que viu um bravo Taylor Fritz (#22) impor um jogo agressivo por cinco sets, não deixando o grego atacar como gosta. Depois de abrir 2 sets a 1, o americano ainda teve 0/30 no sexto game do quarto set, com a chance de abrir 4/2 e se aproximar da vitória. Stefanos, porém, se salvou, ganhando quatro pontos seguidos e se manteve vivo até que Fritz cometeu erros que foram cruciais nas retas finais do quarto e do quinto sets. O favorito não perdoou e venceu por 4/6, 6/4, 4/6, 6/3 e 6/4.

Cabeças que rolaram

Quando venceu na terceira rodada, Aryna Sabalenka (#2) saiu comemorando por ter feito "apenas" dez duplas faltas. De fato, para a bielorrussa, que vem tendo problemas no saque desde o começo do ano, aquelas dez tinham sido seu número mais baixo na temporada. Nesta segunda-feira, porém, Sabalenka cometeu 15 duplas faltas, e algumas em momentos delicados da partida contra Kaia Kanepi.

Três duplas faltas vieram no nono game do terceiro set, o que permitiu à estoniana abrir 5/4 e sacar para o jogo. Sabalenka se recuperou, salvou quatro match points e devolveu a quebra no décimo game. O jogo só foi decidido no tie-break do terceiro set, um game que foi equilibrado até o 6/6. Depois disso, a número 2 do mundo cometeu três erros não forçados e facilitou a vida de Kanepi, que aproveitou para avançar. O placar final mostrou 5/7, 6/2 e 7/6(10/7).

Outros dois jogos da chave feminina terminaram com as favoritas derrotadas, mas os resultados não podem ser considerados zebras com todas as letras. Primeiro, a americana Danielle Collins (#30) superou a belga Elise Mertens (#26) por 4/6, 6/4 e 6/4. Depois, Alizé Cornet eliminou Simona Halep (#15) por 6/4, 3/6 e 6/4. O que nos leva ao momento abaixo....

Primeira vez em 63 slams

Alizé Cornet jogou as oitavas de final no Australian Open pela primeira vez em 2009. Nos últimos 13 anos, ela alcançou as oitavas mais quatro vezes, mas sempre acabou derrotada. Em Wimbledon/2014, perdeu para Eugenie Bouchard. Em Roland Garros, em 2015 e 2017, foi superada por Elina Svitolina e Caroline Garcia, respectivamente. No US Open de 2020, foi a búlgara Tsvetana Pironkova quem levou a melhor.

Nesta segunda, porém, chegou o dia de Cornet. Depois de 63 slams e sob um sol de mais de 30 graus em Melbourne, Cornet mostrou-se melhor fisicamente do que a perigosa romena Simona Halep e fez 4/6, 6/3 e 6/4, avançando para enfrentar Danielle Collins na disputa por uma vaga nas semifinais.

Logo depois do match point, o momento mais emocionante do jogo: a entrevista de Cornet à ex-tenista e atual comentarista Jelena Dokic, que seria justamente a adversária da francesa em 2009, se Cornet tivesse alcançado as quartas. As duas lembram desse momento e um pouco mais (veja abaixo e saiba mais aqui).

Como ficaram as quartas de final

Chave feminina
[1] Ashleigh Barty x Jessica Pegula [21]
[4] Barbora Krejcikova x Madison Keys
[27] Danielle Collins x Alizé Cornet
[7] Iga Swiatek x Kaia Kanepi

Chave masculina
[17] Monfils x Matteo Berrettini [7]
[14] Denis Shapovalov x Rafael Nadal [6]
[11] Jannik Sinner x Stefanos Tsitsipas [4]
[9] Félix Auger-Aliassime x Daniil Medvedev [2]

Os colchetes indicam a ordem dos cabeças de chave

Frase do dia

"Nunca é tarde demais para tentar de novo."
Alizé Cornet (veja no vídeo acima), que alcança as quartas de final de um slam pela primeira vez na carreira aos 32 anos, em seu 63º slam

O melhor da terça-feira

Das quartas de final em diante, não é mais preciso trocar de canal e buscar uma quadra diferente. Todos jogos de simples são na Rod Laver Arena. O nono dia do torneio começa com Krejcikova x Keys (não antes de 22h30min). Em seguida, jogam Nadal e Shapovalov (não antes de meia-noite); Barty e Pegula (não antes das 5h) e Monfils x Berrettini (logo em seguida).

A rodada também tem Bia Haddad Maia buscando uma vaga nas semifinais da chave de duplas. Ela e a cazaque Anna Danilina vão enfrentar a sueca Rebecca Peterson e a russa Anastasia Potapova por volta das 22h30min na Kia Arena.

Todos horários citados são de Brasília.
Os direitos de transmissão são do grupo Disney, que mostra o torneio ao vivo em um dos canais ESPN e no serviço por streaming Star+.

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis como esta.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.