PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Nadal perde set e passa aperto, mas bate Schwartzman e vai à semi em Paris

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

09/06/2021 13h16

Quando Rafael Nadal entrou em quadra nesta quarta-feira, não perdia um set em Roland Garros desde a final de 2019. Sua sequência, no entanto, acabou em 36. O Rei do Saibro não só perdeu uma parcial para Diego Schwartzman (28 anos, #10 do mundo) como mostrou-se inseguro e viu o argentino ser o melhor tenista em quadra por boa parte do duelo. Nadal, no entanto, encontrou seu melhor tênis quando precisou e triunfou por 6/3, 4/6, 6/4 e 6/0, conquistando uma vaga nas semifinais do torneio francês.

Em busca de seu 14º título em Roland Garros e de seu 21º troféu em um slam, Rafa pode ter Novak Djokovic pela frente na sequência. Seu rival nas semifinais sairá da partida entre o sérvio, atual número 1 do mundo, e o italiano Matteo Berrettini, #9 do ranking. O jogo acontece ainda nesta quarta, às 16h (de Brasília).

Como aconteceu

Taticamente, o duelo foi exatamente o que se esperava: dois tenistas trocando bolas cheias de spin do fundo de quadra e tentando empurrar o adversário para trás e agredir primeiro. Nadal começou melhor e só não quebrou no quarto game porque Schwartzman se salvou com uma ótima sequência de pontos. Não adiantou muito. Rafa tomou a dianteira no sexto game ao executar três winners - o último deles numa devolução indefensável na paralela. O atual campeão, porém, cometeu três erros não forcados quando sacava em 4/2, e o argentino devolveu a quebra imediatamente. A luta de Schwartzman, porém, foi abafada quando Nadal voltou a comandar os pontos no oitavo game. Dieguito ainda salvou três break points, mas não evitou o quarto. Rafa, então fechou o set em 6/3.

As margens eram pequenas para oscilações, e cada vacilo custava caro. Schwartzman começou melhor o segundo set e, após forçar três erros de Nadal, conseguiu a liderança com uma quebra no segundo game. Rafa, no entanto, reagiu, devolveu a quebra graças a três erros não forçados do argentino e igualou o placar em 3/3. Schwartzman não se deixou abalar e voltou a confirmar seus games, o que pressionava Nadal, sacando sempre atrás no placar. No décimo game, Rafa cometeu três erros e deu ao oponente um set point. Em seguida, deu uma curtinha ruim seguida de uma madeirada, selando o set: 6/4 para Schwartzman.

O argentino seguiu jogando em altíssimo nível, devolvendo tudo e atacando com confiança. O espanhol, por sua vez, errava mais e se mostrava inseguro na hora de atacar. Apesar de mais ameaçado, Nadal conseguiu manter seus games de serviço até voltar a elevar o nível no oitavo game. Após confirmar o serviço fazendo Schwartzman correr por toda a quadra, Rafa ganhou moral e, pela primeira vez no terceiro set, pressionou o serviço do rival. O argentino salvou um break point com um winner, mas Rafa conseguiu a quebra na segunda chance, com uma curtinha seguida de lob e voleio. Com 5/4 no placar, bastou confirmar o serviço para tomar a liderança do jogo mais uma vez.

Depois disso, Schwartzman não ameaçou mais. Com o argentino visivelmente frustrado, sem conseguir manter o nível das parciais anteriores, Nadal repetiu a história de tantas e tantas vitórias no saibro de Paris. Tomou a dianteira, distribuiu o jogo e não abriu frestas para que seu rival reagisse. Assim, o quarto set pareceu mera formalidade. Em 16 minutos, Rafa abriu 4/0. Nada mudou depois disso.