PUBLICIDADE
Topo

Nos 50 anos de Agassi, 5 momentos inesquecíveis

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

29/04/2020 11h37

Poucos nomes na história levaram o tênis a tantas pessoas diferentes e conquistaram corações em tantos lugares tão distantes uns dos outros. Andre Agassi tinha esse poder. Tinha carisma, um tênis belíssimo de ver e coragem ("falta de filtro" talvez seja uma expressão melhor em determinados momentos da carreira) para falar o que achava que tinha que ser dito.

Poucas personalidades do mundo esportivo também mudaram tanto durante uma carreira. Saiu o rebelde do "imagem é tudo" que apelou até para peruca, entrou um visual careca e quase minimalista. Ficou para trás o relacionamento hollywoodiano com Brooke Shields e veio um casamento discretíssimo com a famosíssima Steffi Graf. Na reta final, a vida noturna agitada e o uso de drogas deram lugar a um trabalho físico rigoroso e um condicionamento invejável.

Ao longo disso tudo - até mesmo em um mergulho decadente que o fez despencar para o 141º posto do ranking - Agassi conquistou mais e mais fãs. Disputou 15 finais de slam, venceu oito delas e foi questão de tempo até o chamado do Hall da Fama, que veio em 2011. Nesta quarta-feira, 29 de abril, o americano completa 50 anos de vida, e deixo abaixo cinco momentos memoráveis de sua carreira - dentro e fora de quadra.

1. Imagem é tudo

Em 1991, ainda antes de ganhar seu primeiro slam, Agassi era o "rebelde" perfeito para a campanha da Canon Rebel. Um comercial de máquinas fotográficas que passava a mensagem do "imagem é tudo". Nada resume melhor o Agassi de fora das quadras nessa época.

2. O primeiro slam

Agassi foi a Wimbledon em 1987, perdeu na primeira rodada e demorou a voltar. Não gostou de jogar na grama. Não achava que aquilo era tênis de verdade. Achava que era uma inconveniência em seu calendário. Ao amadurecer, passou a entender o significado e a importância de Wimbledon. Voltou em 1991 e foi até as quartas. Em 1992, conquistou lá seu primeiro slam. Vestiu branco da cabeça aos pés, respeitou a realeza e voleou quando precisou volear. Finalmente, um digno campeão de slam.

3. Redenção em Roland Garros

Agassi fez sua primeira final de slam em Roland Garros. Foi em 1990, o ano da peruca e da derrota para Andres Gomez. No ano seguinte, voltou à decisão e foi superado por Jim Courier em cinco sets. Sua terceira chance de conquistar Paris só veio em 1999. Era outro momento de sua carreira. O americano já havia sido número 1 do mundo e despencado para fora do top 100. Era a hora de se reerguer ao lado do técnico Brad Gilbert. O título veio da forma mais dramática (e mais linda) possível. Agassi perdeu os dois primeiros sets para o ucraniano Andrei Medvedev antes de iniciar uma virada memorável.

4. A última vitória

Agassi chegou ao US Open de 2006 para fazer seu último torneio. Aos 36 anos, já lidava com uma séria lesão nas costas e relatava que tinha dificuldades até para realizar certas tarefas em casa. Aquele torneio era um último sacrifício para deixar a profissão dignamente, em seu país e diante de seus fãs. Depois de bater Andrei Pavel em um jogo dramático de quatro sets (três tie-breaks) na primeira rodada, Agassi tomou uma injeção de cortisona para entrar em quadra contra Marcos Baghdatis, então número 8 do mundo. Foi um espetáculo de cinco sets em quase quatro horas. Um último triunfo à altura de uma carreira apaixonante.

5. A despedida

As últimas palavras de Agassi como tenista profissional foram tão ou mais emocionantes quanto algumas de suas conquistas. Após perder aquele jogo para Benjamin Becker no US Open de 2006, o ex-número 1 fez uma declaração de amor aos fãs, dizendo que "o que o placar não diz é o que eu encontrei. Nos últimos 21 anos, eu encontrei lealdade. Vocês torceram para mim dentro da quadra e também na vida. Eu encontrei inspiração. Vocês me ajudaram a ter sucesso às vezes nos meus momentos mais ruins. E encontrei generosidade. Vocês me deram seus ombros para me apoiar e buscar meus sonhos. Sonhos que eu nunca teria alcançado sem vocês. Nos últimos 21 anos, encontrei vocês. E vou levar vocês e suas lembranças comigo pelo resto da vida."