PUBLICIDADE
Topo

Federer passeia e vê nomes fortes de sua chave ficarem pelo caminho

Roger Federer na segunda rodada do Australian Open 2020 - Reuters
Roger Federer na segunda rodada do Australian Open 2020 Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

22/01/2020 08h29

Não bastasse a grande forma com que começou sua participação nesta Australian Open, Roger Federer vem contando com a sorte e vê sua chave se abrir graças às quedas de cabeças de chave e adversários que, em tese, lhe dariam mais trabalho nas próximas rodadas. Nesta quarta-feira, o suíço fez seu dever de casa, superando o sérvio Filip Krajinovic, #41 do mundo, por 6/1, 6/4 e 6/1, mas não foi só isso que contribuiu para sus chances no torneio.

A rodada também registrou as derrotas de nomes como Matteo Berrettini (#8), Grigor Dimitrov (#20) e Hubert Hurkacz (#31). Todos estavam em rota de colisão com Roger. Berrettini, cabeça de chave 8, foi eliminado pelo americano Tennys Sandgren (#100) em cinco sets: 7/6(7), 6/4, 4/6, 2/6 e 7/5. O italiano era o favorito para encontrar Federer nas quartas.

Dimitrov, por sua vez, tombou diante do também americano Tommy Paul (#80), de 22 anos, igualmente em cinco sets: 6/4, 7/6(6), 3/6, 6/7(3) e 7/6(3). O búlgaro, que eliminou Federer no US Open do ano passado, era o mais cotado para ser o adversário do suíço nas quartas de final.

O último a cair foi Hurkacz (#31), superado pelo australiano John Millman (#47), que fez 6/4, 7/5 e 6/3. Esse resultado faz com que Federer possa chegar às quartas de final sem precisar derrotar um cabeça de chave sequer. Millman será o próximo adversário de Roger no torneio.

Outro nome perigoso no caminho de Federer e que já e despediu do torneio foi o canadense Denis Shapovalov (#13), que fez um belo fim de temporada, começou 2020 com grandes atuações e chegou bem cotado a Melbourne, mas perdeu logo na estreia diante do húngaro Marton Fucsovics. No início do torneio, Shapo era o nome mais cotado para ser o rival do suíço nas oitavas.

A vitória sobre Krajinovic

Federer entrou em quadra afiado, tomando o controle das ações e sufocando o adversário. Em 20 minutos, fechou a primeira parcial por 6/1. O segundo set não começou tão diferente, mas o suíço diminuiu de intensidade assim que obteve uma quebra de vantagem. Krajinovic entrou na partida e passou a agredir nas devoluções. O suíço, pressionado, acabou perdendo o serviço, o que deixou o placar em 4/4. O sérvio, contudo, não aproveitou o momento. No nono game, errou um smash, um voleio e foi quebrado outra vez. Federer não perdoou: fez 6/4 na sequência e abriu o terceiro set disparando na frente. O azarão não conseguiu mais emparelhar o duelo.

Serena compensa na garra

No primeiro jogo da sessão noturna na Rod Laver Arena, a quadra principal do torneio, Serena Williams confirmou seu favoritismo sobre a eslovena Tamara Zidansek (#70) e avançou por 6/2 e 6/3. Não foi uma atuação impecável da americana, que somou 28 erros não forçados (para 25 winners) e compensou na garra - e com muitos gritos - quando lhe faltou precisão ou quando Zidansek teve três break points no segundo set.

Em busca do 24º título de slam em simples para igualar o recorde da australiana Margaret Court, a americana de 38 anos segue como a favorita absoluta em Melbourne. Na terceira rodada, ela vai enfrentar a chinesa Qiang Wang (#29), que vem de vitória por 6/1 e 6/2 em cima da francesa Fiona Ferro (#63).

Brasileiro tem saque mais rápido do torneio

Após três dias de Australian Open, o site do torneio registra que Thiago Monteiro foi o autor do saque mais rápido da competição até agora. Na sua derrota para John Isner, o cearense, atual número 1 do Brasil, disparou um saque a 232 km/h. A "bomba" deixa Monteiro na primeira posição da lista do evento, empatado com o espanhol Jaume Munar. Atrás deles vêm Milos Raonic (229 km/h), Taylor Fritz (224 km/h), Matteo Berrettini (224 km/h), Reilly Opelka (223 km/h) e Mario Vilella Martínez (223km/h).

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Saque e Voleio