PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Novos carros da F1 impressionam com alta quilometragem e Ferrari começa bem

Lando Norris testa o novo carro do McLaren para a temporada 2022 - Hasan Bratic/picture alliance via Getty Images
Lando Norris testa o novo carro do McLaren para a temporada 2022 Imagem: Hasan Bratic/picture alliance via Getty Images
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

23/02/2022 14h04

Nem parecia que a Fórmula 1 estava fazendo seu primeiro dia de testes de pré-temporada após uma das mudanças mais extensas no regulamento da categoria. Poucos carros tiveram problemas e quatro equipes superaram a marca de dois GPs da Espanha completados no Circuito da Catalunha. Ferrari, Red Bull, Alpine e Williams superaram as 132 voltas, mostrando ótima confiabilidade. E a Mercedes não ficou muito atrás, com 127. O mais rápido do dia foi Lando Norris, único a marcar um tempo representativo com o composto de pneu C4, mais veloz que os demais usados nesta quarta-feira. As duas Ferrari vieram logo atrás, com Charles Leclerc em segundo e Carlos Sainz em terceiro.

Em relação aos tempos, as equipes ainda estão longe de procurar performance, então não vale a pena fazer análises a esta altura da pré-temporada. Mas não deixou de chamar a atenção o fato de que a maior parte da vantagem de Leclerc em relação aos outros pilotos que marcaram tempos com o pneu C3 ter sido construída no terceiro setor.

O trecho final da pista de Barcelona é, de longe, o mais travado da pista. E a expectativa é que as novas regras façam com que os carros sofram justamente nas curvas de baixa velocidade. É uma tendência a ser observada nos próximos dias, lembrando que os carros ainda não estão otimizados para obter o máximo de performance. Além da Ferrari, a aderência da McLaren no contorno das curvas também chamou a atenção. O time foi um dos dois, juntamente da Red Bull, que optaram por um desenho de suspensão que deve ajudar no equilíbrio do carro na entrada das curvas.

Fim do mistério da Red Bull

red bull - Mark Thompson/Getty Images - Mark Thompson/Getty Images
Max Verstappen, atual campeão da F-1, também testou o carro da Red Bull Racing para 2022
Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Falando Red Bull, esta quarta-feira foi finalmente o dia de ver o RB18 pela primeira vez. O time tinha feito o lançamento apenas da nova pintura, e depois escondeu ao máximo o carro no dia de filmagem que fez em Silverstone na semana passada. Como de costume com os carros de Adrian Newey, a espera foi justificada. O carro tem um recorte ousado na lateral para canalizar o fluxo aerodinâmico, e o projetista apostou em direções diferentes em relação à Mercedes, optando por não afunilar tanto a traseira do carro como a rival.

Verstappen chegou a escapar da pista em seu primeiro dia com o novo carro, e adotou uma tocada menos agressiva que o normal, freando cedo e focando mais na saída de curva. Desta forma, ele tenta maximizar o efeito-solo. Verstappen foi quem mais andou no dia, com quase 150 voltas.

Assim como para os pilotos, o teste serve para as equipes comprovarem suas teorias. Neste primeiro momento, as equipes estão buscando comprovar se os resultados que veem no túnel de vento são os mesmos da pista, então vários carros foram à pista com grades de medição de fluxo de ar e tintas que ajudam a visualizar a interação do carro com estes fluxos.

ferrari - Hasan Bratic/picture alliance via Getty Images - Hasan Bratic/picture alliance via Getty Images
Traseira da Ferrari com grades de medição aerodinâmica
Imagem: Hasan Bratic/picture alliance via Getty Images

E, durante todo o dia em Barcelona, os times foram recebendo novas peças das fábricas para serem testadas nos dois próximos dias.

Problemas para Haas e Alfa Romeo

Duas equipes, no entanto, começaram a pré-temporada com problemas. A Alfa Romeo, ainda usando a versão camuflada, pois ainda não lançou sua pintura, passou boa parte da sessão da manhã parada nos boxes porque "uma peça pequena quebrou e teve de ser trocada, mas não preocupa", de acordo com a equipe.

A Haas teve um vazamento no sistema de refrigeração, que também teve de ser trocado. Depois, alguns sensores falharam. À tarde, quando Mick Schumacher assumiu o cockpit, o carro também permaneceu por muito tempo nos boxes. Mesmo com o primeiro dia longe do ideal, a Haas tem chamado a atenção não por ter um carro muito diferente, mas pelo nível de detalhamento das soluções, mostrando o resultado de um ano inteiro 100% dedicando-se ao carro de 2022.

Boa notícia para a Alpine

alpine - Rudy Carezzevoli/Getty Images - Rudy Carezzevoli/Getty Images
Fernando Alonso, bicampeão da categoria, testa carro da Alpine de 2022
Imagem: Rudy Carezzevoli/Getty Images

Por outro lado, as mais de 130 voltas dadas neste primeiro dia são particularmente animadoras para a Alpine, que está estreando uma unidade de potência totalmente nova nesta temporada. Este é um risco que a equipe tem de correr, já que o desenvolvimento dos motores será congelado neste ano e a Renault precisava de mais potência. É claro que eles ainda não experimentaram o motor em seu regime mais potente, mas é um início sólido.

Os testes da pré-temporada da F1 continuam nesta quinta-feira (24) no Circuito da Catalunha, em Barcelona. No total, as equipes têm apenas seis dias para se prepararem para o início da temporada, dia 20 de março, no Bahrein.