PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mercedes melhorou, mas Hamilton ainda vê Red Bull de Verstappen mais rápida

Hamilton e Verstappen durante a entrevista coletiva pós-corrida - Andy Hone/Getty Images
Hamilton e Verstappen durante a entrevista coletiva pós-corrida Imagem: Andy Hone/Getty Images
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

20/04/2021 04h00

A segunda corrida da temporada da Fórmula 1, em Imola, acabou com Max Verstappen batendo Lewis Hamilton por 22 segundos, depois de o holandês ter perdido para o inglês por míseros sete décimos na prova de abertura, no Bahrein. Foram duas provas disputadas em pistas e sob condições completamente diferentes, mas a Mercedes não escondia a satisfação por ter melhorado o desempenho do carro nas três semanas entre a primeira corrida e o GP da Emilia Romagna e ter se aproximado da Red Bull.

De fato, houve um momento da prova em que Hamilton - que tinha largado em primeiro depois que Verstappen cometeu um erro na classificação, mas perdera a primeira posição justamente para o holandês na largada - parecia que ganharia a corrida por causa do ritmo que vinha adotando logo antes de sua parada nos boxes. Afinal, à medida que a pista ia secando depois do início sob chuva, seu ritmo melhorava.

Na volta 26, Hamilton tinha visto a diferença em relação a Verstappen cair de 5 para 2 segundos, e poderia voltar à frente caso antecipasse sua parada. Foi então que a Red Bull reagiu rapidamente e chamou o holandês aos boxes para trocar os pneus intermediários pelos de pista seca. "Acabou sendo a volta certa de parar, mas minha volta de saída dos boxes foi meio assustadora porque eu sabia que tinha de forçar porque Lewis com certeza pararia na volta seguinte e eu não podia perder tempo", revelou Verstappen após a prova.

Hamilton parou mesmo na volta 28, mas o pitstop da Mercedes foi lento e a volta de Verstappen com pneus slick numa pista ainda úmida foi bem mais veloz que a do próprio inglês, e ele manteve a ponta.

O que acabamos não vendo é como seria essa briga com uma condição de pista bem diferente na segunda metade da prova. Isso porque Hamilton cometeu um erro, saiu da pista, foi parar em nono e fez uma prova de recuperação a partir daí, escalando até a oitava posição no final, enquanto Verstappen controlou o ritmo na ponta.

Se, por um lado, Hamilton disse acreditar que a Mercedes melhorou o comportamento do carro, ele também entende que as temperaturas mais baixas em Imola podem ter ajudado, assim como a aderência maior do asfalto do circuito Enzo e Dino Ferrari em relação à pista do Bahrein. "A janela para fazer esse carro funcionar é muito, muito pequena. Mas melhoramos em todos os sentidos", contou Hamilton. "Mas acho que a Red Bull ainda está mais rápida. Na classificação, definitivamente, e na corrida acredito que eles também tenham uma vantagem".

Mercedes - Getty Images - Getty Images
Max Verstappen, da Red Bull Racing, ultrapassa Lewis Hamilton, da Mercedes, no início do GP da Emilia-Romagna
Imagem: Getty Images

Com duas corridas disputadas, a Mercedes já percebeu que tem um carro melhor na corrida do que na classificação em comparação com a Red Bull, mas o que está mais claro é que Hamilton e Verstappen estão prontos para uma batalha que há muito esperavam.

"É ótimo estar lutando contra Lewis e contra a Mercedes, que têm sido tão dominadores e uma equipe tão difícil de ser batida. Então estar aqui [entre os dois primeiros] nas duas primeiras corridas significa que estamos muito competitivos. É muito promissor", disse o holandês, que pela primeira vez se vê em posição de lutar pelo título, e logo contra um piloto que quebrou praticamente todos os recordes na F1.

"Estou empolgado por essa batalha", disse Hamilton. "Pela primeira vez em muito tempo a Red Bull tem um carro com que pode lutar pelo título, então será uma batalha apertada por todo o ano."

No momento, por causa da volta mais rápida que marcou no último domingo (18), Hamilton lidera o campeonato com um ponto de vantagem.